O "pintor" Walter Keane era um tremendo sucesso nos anos 60. Ele era conhecido por ser o suposto pintor dos retratos denominados de Olhos Grandes. Eram quadros com crianças com olhos de tamanho desproporcional aos seus rostos: eram olhos imensos e tristes, que transmitiam emoção para quem os via. Para muitas pessoas, as pinturas eram irresistíveis. Apenas achavam estranho que, de melancólico, Walter Keane mesmo não tinha absolutamente nada: era um homem apreciador de mulheres, bebidas e de si mesmo.

Ele dizia que, quando conheceu sua esposa, Margaret Keane, ela teria dito para ele que amava seus quadros e que o achava o maior pintor que ela já havia visto.

Publicidade
Publicidade

Ele também dizia que ela achava as crianças de suas obras tão tristes que tinha desejo de tocar nelas, porém ele teria dito para ela: "Nunca toque em nenhum dos meus quadros."

No entanto a realidade era muito diferente: era Margaret Keane, sua esposa, a verdadeira pintora dos quadros, porém ela não sabia que Walter mentia sobre isso. Um dia eles estavam em uma espécie de salão em São Francisco onde comediantes se apresentavam. Walter estava vendendo os quadros quando de repente alguém perguntou para Margaret: _Você também pinta? Ela ficou então chocada ao ver que o marido tomava todo o crédito do trabalho dela para si mesmo.

Depois disso, Margaret confrontou o marido, porém ele convenceu-a a continuar com a farsa, dizendo que se as pessoas descobrissem que não era ele quem pintava os quadros iriam processa-los.

Publicidade

Ela ficou preocupada pois tinha uma filha para sustentar. Ele pediu então a ela que o ensinasse a pintar, porém ele não conseguia aprender e a culpava por não ensina-lo direito. Foi a partir daí que ele, revoltado, a mantinha em cativeiro, em um quarto com as cortinas fechadas. Ela pintava cerca de 16 horas por dia. Nem mesmo os criados da casa sabiam disso, e, quando Walter saía, ligava de hora em hora para saber se ela estava em casa.

Ele chegou inclusive a bater nela uma vez.

Consternada, Margaret ouviu seu marido dizer em uma entrevista que ele era o melhor pintor de olhos desde El Greco.

Além de farsante e violento, Walter era promíscuo: Houve vezes nas quais, quando ela ia para seu quarto dormir, havia três mulheres em sua cama.

Walter sempre a pressionava para pintar mais, exigindo o que ela deveria fazer: "Pinte uma criança com roupa de palhaço", "pinte uma criança em um cavalinho de madeira", etc.

Depois de 10 anos de casada, sendo 8 anos de um verdadeiro martírio, finalmente Margaret conseguiu se divorciar de Walter, apesar disso teve que manter a promessa de continuar pintando por ele.

Publicidade

Entretanto, após ter dado cerca de 30 outros quadros para Walter, cansada daquela farsa, ela resolveu contar tudo para um repórter.

Assim que foi confrontado pela imprensa, Walter reverteu a história, dizendo que Margaret era uma farsante e uma depravada psicopata. Ele achou que poderia vence-la, até que um juiz pediu a ambos que pintassem, ali, diante do juri, um quadro de crianças de olhos grandes; Em cerca de 53 minutos, Margaret fez sua pintura, porém Walter disse que não conseguia porque estava com dor no ombro. Margaret ganhou a causa.

Depois disso Margaret casou-se novamente. E quanto a Walter Keane? Bebia dia após dia. Ele morreu em 2000.

Em dezembro próximo, Tim Burton lançará um filme sobre a história de Margaret Keane intitulado Big Eyes - Olhos Grandes. Margaret está bem. Agora pinta quadros com crianças esboçando o começo de um sorriso. Agora com 87 anos, até fez uma pontinha no filme. Ela diz: "Eu sou uma senhorinha que está sentada em um banco de uma praça." #Entretenimento