Após 20 anos o Pink Floyd lança um novo disco, The Endless River, que segundo David Gilmour pode ser um disco de despedida da banda. O último disco lançado pela banda foi Division Bell em 1994. A turnê de divulgação do álbum quebrou todos os recordes de bilheteria, porém, segundo o guitarrista e vocalista, a coisa ficou muito grande e acabou fugindo do controle. Ele começou a sentir falta de interatividade com o público.

Nestes 20 anos, Gilmour tentou se desvencilhar do Floyd, fazendo discos solos e se dedicando mais à sua família, mas para ele estava faltando algo. Ele sentia que precisavam fazer alguma coisa para finalizar de vez a história com o Pink Floyd. The Endless River foi feito com sobras de estúdio de Division Bell, "Havia cerca de 20 horas de material gravado que seria usado como um disco de #Música ambiente e lançado como bônus do Division Bell, porém o projeto não vingou e as fitas ficaram esquecidas. Há algum tempo atrás desenterrei estas fitas e percebi que tinha muita coisa boa ali. Nick Mason regravou algumas coisas da bateria e melhoramos a mixagem que acabou virando um novo disco.", contou Gilmour em entrevista à Rolling Stone.

Gilmour foi categórico ao dizer que este é o disco que encerra o ciclo de vida da banda e disse que é praticamente impossível realizarem uma turnê de divulgação e despedida da banda. "Com a morte de Wright em 2008 e com a vida que levo hoje em dia, acho meio impossível fazer uma turnê com o Pink Floyd. Estou contente com minha música e minha vida, o fato de voltar aos palcos com o Pink Floyd me causa calafrios." declarou o guitarrista.

The Endless River é uma homenagem ao tecladista Rick Wright. Praticamente todo instrumental, o disco deixa os teclados de Wright em primeiro plano. "Roger e eu sempre fizemos muito barulho, tanto na banda como na imprensa e com isso deixamos Rick de lado. Mas ele foi vital para a banda, ele criou o que chamo de 'paisagem sonora' e isto é algo que não pode ser reproduzido novamente.", confessa Gilmour.

O disco é dividido em quatro sessões distintas num total de 18 faixas. "As músicas soam como outro clássicos "Echoes", "Welcome The Machine" e "Shine On You Crazy Diamond" e alguma coisa do final dos anos 60, início dos 70. É engraçado, é como se sentar diante de uma tela em branco, mas tudo que você coloca lá, na verdade já estava lá, e isto lhe deixa confortável.", complementa o baterista Nick Mason.

"Louder Than Words" é a única música com letra, escrita pela esposa de Gilmour, Polly Samson que é romancista e que fez parte de algumas composições de Division Bell. A canção soa como uma despedida e relata fatos como a briga entre o ex-baixista e cofundador da banda Roger Water e o atual guitarrista e vocalista David Gilmour.

Questionado sobre o porquê de não terem convidado Water para participar do disco, Gilmour disse: "Por que diabos chamaria ele para tocar numa banda novamente? Roger não participa mais de grupos, ele faz sua música sozinho e é assim que ele gosta de fazer". Ainda sobre Water, Gilmour também descarta uma possível reunião. "Em 2005 tocamos juntos em 8 concertos para caridade, em 2010 dividimos o palco novamente, mas as chances de subirmos juntos num mesmo palco, talvez somente em algum evento de caridade mesmo."

Quanto a Mason ele brinca que talvez saia em turnê tocando apenas as partes da bateria de The Dark Side Of The Moon, mas também diz estar esperançoso que Gilmour mude de ideia e que a banda volte à ativa ainda. "Creio que quando eu morrer, em minha lápide vai constar os seguintes dizeres: "Eu ainda não estou inteiramente certo a respeito do fim da banda", brinca Manson. #Entretenimento #Famosos