Oi gente! Neste grupo de discussões tem um post falando em preguiça. Estive pensando aqui sozinha sobre como essa coisa da indolência pode influenciar no comportamento das pessoas e, consequentemente, na composição de uma ordem social. Posso estar enganada, mas nós que andamos pelos caminhos da Filosofia, falando e ouvindo opiniões, discordando claramente ou não, não merecemos ser chamados de preguiçosos. Tão pouco aquele peão de obra que conserta o asfalto da esquina.


Preguiçoso, para mim, seria aquele que além de nada produzir, pela pura incapacidade de se entregar a qualquer atividade, critica a produção alheia. É aquele que engendra meios e modos de negar ao outro os méritos que desejaria para si, mas não tem braços para alcançá-los.
Difere portanto, do competir. Pessoas produzindo a mesma coisa, empregando tempo e dinheiro no aperfeiçoamento para estar à frente, na preferência do mercado consumidor.


Mas gente indolente não tem jeito. Em minha #Opinião, são um bando entregue à observação e só abrem a boca para reproduzir em palavras o amargor da própria saliva! Nós, os estudiosos dos nomes dignos da eternidade, além do bom gosto de nos ocuparmos com assuntos de importância, não poderíamos deixar de notar a existência de outros que servem a assuntos insignificantes!


Usando outras palavras, estou escrevendo este texto na defesa da construção de uma sociedade da qual todos nós possamos nos orgulhar. Uma sociedade que espelhe nossa casa e que esta casa seja limpa e organizada. Para tanto faz-se absoluto o investimento em produtos e serviços, ditos pelo mercado consumidor, como produtos específicos e aperfeiçoados. Produtos e serviços que satisfaçam a necessidade do consumidor dentro daquele segmento, enquanto proposta final.


Porquê instalar o Windows ao invés do Linux?
Consumir Boticário ao invés de Racco?


Não acho que exista, na prática, essa coisa de ver uma emissora porque gosta mais do dono do que daquela. Até se pode alegar uma preferência, mas às nove da noite está todo mundo querendo saber quem mais vai morrer no capítulo de hoje!


Então, o que funciona mesmo é o produto final, sobretudo aquele que a gente não pode fazer em casa.
Mas gostaria!
#Educação