Queridinho de moradores e turistas que chegam ao litoral norte paulista para passar seu período de férias, o sorvete feito na região conquista os visitantes a cada nova alta temporada de verão. Seja na praia, no pós-praia, em picolé, no copinho, na casquinha, no cascão ou ainda no esquema por quilo, com a elevação da temperatura os comerciantes do setor também registram aumento nas vendas. Nessa época do ano, principalmente aos finais de semana antes do Natal - depois entra janeiro e no Carnaval quase diariamente - as sorveterias de Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião e Ubatuba ficam lotadas de jovens e adultos que não se incomodam de enfrentar fila para saborear a sobremesa que tem preço médio de R$ 5 a bola e R$ 3 o picolé.

Publicidade
Publicidade

"O sabor é irresistível, não existe igual, podem até existir parecidos, não igual, por isso venho sempre que posso", diz a universitária Paula Simões, 26, de Mogi das Cruzes, município da Grande São Paulo.

De acordo com a Associação Brasileira das Indústrias de Sorvetes, a demanda de consumo no verão representa cerca de 70% da produção anual do país, que é de aproximadamente 950 milhões de litros, incluindo massas e picolés. É um mercado que movimenta R$ 2 bilhões por ano. Apesar disso, ainda segundo a ABIS, o brasileiro toma em média 4, 98 litros de sorvete, menos de um terço que a população de alguns países nórdicos e frios como Finlândia e Dinamarca. "O sorvete não é apenas uma guloseima, mas um alimento nutritivo. Completo contém proteínas, açúcares, gorduras vegetal e animal, além de vitaminas A, B1, B2, B6, C, D, K, cálcio, fósforo e outras fontes de minerais essenciais para manter uma nutrição balanceada", diz a ABIS.

Publicidade

Sabores

Diferentemente dos sorvetes das grandes redes de fast food, o sorvete feito naturalmente sem adição de química, gordura ou corantes agrada aos turistas pela consistência e sabor acentuados. Hoje em dia uma preocupação maior com os portadores de doenças como diabetes também fizeram proliferar os sabores Diet. Sem revelar o "segredo do sucesso", as tradicionais sorveterias de São Sebastião dizem que a base da fórmula utiliza água, leite, açúcar e frutas.

Mas não são apenas as frutas que ajudam a conquistar o paladar. Novidades que chegam junto com o verão são sabores que deixam o sorvete ainda mais saboroso: massa de tapioca, ninho trufado, ovomaltine, jabuticaba, entre outras delícias também em versão light, que só comprovam a teoria que sorvete não engorda e faz bem. "Nesse calor, é bom a qualquer hora", conta o jovem Igor Maia, de Campinas, no interior paulista. #Negócios #Turismo