São fotos, vídeos, opiniões, discussões, alegrias e tristezas, tudo sendo compartilhado, acessado e curtido. Esse é o dia a dia de quem está ligado às redes sociais, onde todos sabem de todos. E tudo que a pessoa, vive ou viveu, está sendo exposto na frente de um computador para milhões de pessoas, sejam elas conhecidas ou não.
O fenômeno do controle de pessoas, onde você foi, onde está e onde irá, sempre foi alvo de especulação do governo, onde o estado controla sua população no intuito de acabar com os 'infratores'. De um certo ponto de vista, as especulações são de fato reais, já que o governo se mune de ferramentas para saber quem é você, o que está comprando, se está trabalhando ou se viajou. E esse controle se dá por meio dos documentos, pois sem eles nada que foi citado é capaz de se concretizar. Sendo assim, você querendo ou não já está sendo controlado e rastreado.


Mas.. e quando a exposição vai além?

A necessidade de comunicação do homem é enorme, o que o faz criar ferramentas que facilitem a conversa entre duas pessoas ou mais. Primeiro foram as cartas, depois o telefone, e com a criação da internet, o uso de e-mails e redes sociais, respectivamente. Indo um pouco além, outra necessidade do homem sempre foi se mostrar. Ser visto e estar em destaque sempre foi um de seus objetivos, não como uma necessidade em si, mas algo voltado mais para o seu ego. #Televisão

Somadas a necessidade de comunicação e a necessidade de ser observado, vemos a explosão das redes sociais, onde todo mundo é famoso e pode ver e ser visto, e com o passar do tempo vai criando legiões de pessoas conectadas. E isto, sem citar muitas outras que se tornam viciadas em redes sociais.
No começo é apenas um bom dia, depois uma opinião, depois o compartilhamento de uma foto de aniversário, e quando se percebe, a exposição em redes sociais se torna absurda. É um 'local' onde a pessoa livremente, diferente do controle do estado, se mostra e se submete a outras pessoas, sejam elas bem intencionadas ou não.


Big Brother
A vizinha não precisa ficar mais na janela para ouvir fofoca. Se ela tem um computador com internet hoje, ela pode fazer seus futricos no conforto de sua cadeira. O controle que sempre foi visto como algo ruim, agora é feito pela própria pessoa, que se expõe de maneira perigosa sem perceber.
As redes sociais, como qualquer outra ferramenta são muito importantes e têm suas utilidades, mas se usadas de maneira incorreta, podem acarretar grandes problemas. Usar a internet com prudência e sensatez é indispensável, pois fora do controle você pode estar expondo você e sua família, deixando à deriva, vivendo um verdadeiro Big Brother, onde o público que está assistindo são pessoas boas, más, fofoqueiras, discretas, católicos, evangélicos... E este público, de alguma maneira, pode usar o que você está postando a favor ou contra você.