Porto Alegre vem sendo palco de grandes movimentos de ocupações de espaços públicos. O principal objetivo é aproveitar os espaços que a cidade oferece, juntar os amigos, trocar ideias e beber um pouco. O Largo Vivo, por exemplo, acontece próximo ao Mercado Público da cidade, em um espaço que durante o dia é estacionamento e é por isso que o projeto carrega o slogan "Praça não é estacionamento". O interessante é que não tem ninguém que de fato organiza os eventos, o pessoal se mobiliza nas redes sócias, escolhe a data e a praça acaba sempre lotada.

A Serenata Iluminada costuma ocorrer na Redenção, um dos principais parques florestais da cidade.

Publicidade
Publicidade

As velas que a galera costuma levar, além de embelezarem o parque, carregam também certa dose de protesto, já que muitos espaços públicos da capital não têm iluminação noturna, o que acaba tornando esses lugares perigosos para circulação à noite.

O Coletivo Cidade Baixa em Alta, que promove eventos em um dos bairros mais boêmios da cidade, a Cidade Baixa, organiza em diversas épocas do ano o Picnic Solidário (o evento leva esse nome porque a entrada é um quilo de alimento que depois é doado para instituições da cidade). O projeto acontece em um gramado a céu aberto nos fundos do Museu Joaquim Felizardo. Estabelecimentos locais montam barraquinhas vendendo comidas e bebidas. De vez em quando, eles chamam uma banda para fazer um tributo, já rolou Johnny Cash, Rolling Stones...

Seguindo nessa ideia de aproveitar espaços públicos para juntar a galera, os amigos Vitor Laitano e Joana Gutterres Berwanger se organizaram para fazer o 1º Escambo no Parque que vai acontecer no dia 11 de janeiro na Redenção.

Publicidade

O objetivo é que as pessoas levem coisas que não querem mais, presentes de Natal que não gostaram, roupas que não usam mais, tudo que estiver a fim de se desfazer e acha que vai ser útil para a troca.

Nada de dinheiro envolvido. A proposta é levar uma sacola com as tuas coisas, uma tanga e conferir o que os outros levaram também. Na hora da troca tem que ser bom de diálogo, como diz no próprio evento tem que ir tentando trocar "daí se tu quiser, troca, se não, réplica, tréplica..."

Um dos organizadores, Vitor Laitano, disse que a ideia surgiu de uma "vontade de fazer uma coisa pública, surgiu numa madrugada que eu percebi que deu uma queda no número de eventos públicos em POA" depois de um aniversário de uma amiga que tinha também organizado um escambo "a coisa era pra ser menor, só na casa dela, mas valendo de tudo também". O evento da amiga não rolou, mas motivou a criação de algo maior. Ele mesmo garante que já separou várias coisas: "A maioria é coisa menor, como chaveiro e óculos, mas já botei uns livros, alguns que eu ganhei de natal até.

Publicidade

Também estou pensando em levar um pandeiro e considerando algumas roupas que eu não uso mais."

O 1º Escambo no Parque rola dia 11 de janeiro, na Redenção, a partir das 16 horas. É só chegar lá com as tuas coisas e trocar, nada de burocracias. Para quem quiser saber um pouco mais sobre o projeto é só procurar o evento nas redes sociais. Em caso de chuva o evento será cancelado. #Entretenimento #Dicas