Localizada entre os rios Poti e Parnaíba, Teresina é a única capital do Nordeste que não se refresca com águas do Atlântico. Mas a cidade com nome de mulher tem altivez e beleza, não se sente desprestigiada e nem menos valorizada. Com uma população aproximada de 850.000 mil habitantes, sendo mais de 80% genuinamente piauienses, a cidade conta com praias fluviais nas ribanceiras dos rios, um "point" muito apreciado nos meses de agosto e julho.

A explicação da ausência de praias remonta-se à economia do Brasil colonial. Enquanto os outros estados nordestinos foram ocupados ao longo do litoral, para produzir e exportar açúcar, o Piauí surgiu da expansão das fazendas de gados.

Publicidade
Publicidade

Essa atividade era voltada para o suprimento de carne seca, couro e tração animal para o litoral açucareiro. A desbravação ficou sob o comando do bandeirante paulistano Domingos Jorge Velho, no ano de 1662. Somente em 1880, o Piauí ganharia praias, depois de trocar com o Ceará dois municípios, por uma faixa de 66 km de litoral, sendo o menor por estado.

As praias do Piauí ficam ao Norte do estado, as mais conhecidas e visitadas pelos turistas são: praias de Atalaia, Coqueiro, Peito de Moça e Barra Grande. Geralmente são piauienses que moram em outros estados que aproveitam as férias para visitar amigos e parentes. Desembarcando no aeroporto Petrônio Portela, em Teresina, o turista poderá alugar um automóvel e depois de três horas tomar um banho em águas salgadas. As cidades de Parnaíba e Luís Correia contam com confortáveis pousadas para conforto do turista.

Publicidade

Teresina, uma cidade mediana, de 162 anos, conhecida carinhosamente de "cidade verde", é inconfundível e encantadora. Suas largas avenidas com modernos edifícios trazem ares de modernidade à cidade. Já as ruas e praças expõem aos visitantes casarões neoclássicos, palácios greco-romanos, retratando a história local. O clima é muito quente durante o ano inteiro, a temperatura varia de 27° C a 40°C graus. É possível passear pela cidade através da sua cultura, gastronomia e artesanato. Na cozinha você pode degustar os mais variados pratos: A galinha à cabidela, carne de carneiro e deliciosos doces derivados de caju.

Depois de bom descanso e digestão é hora de bater perna. Lá tudo é perto. É hora de conhecer o Centro de Artesanato Mestre Dezinho, que fica no coração da cidade na praça Pedro II, para comprar algumas lembranças para familiares e amigos. São mais de 25 lojas que retratam a importância do artesanato piauiense. As peças são geralmente confeccionadas em fibras, madeira, cerâmica, couro e buriti.

Publicidade

Logo à frente se avista o Teatro 4 de Setembro. Quando a noite chega, o que não faltam são opções para quem gosta de boa música. Há inúmeros restaurantes com música ao vivo para todos os gostos, do clássico ao popular. Basta acessar os sites de #Entretenimento. Os locais: Box 23, Cabana Prime, Kanecas Cachaçarias são os mais frequentados, entre outros.

Apesar de toda a diversão que a cidade oferece, o #Turismo em Teresina é basicamente voltado para as áreas de negócios e da saúde. A cidade é polo de referência no Nordeste, na área da saúde. A concentração de clínicas e hospitais particulares são atrativos para o deslocamento de pessoas em buscas das diversas especialidades no tratamento da saúde. A maioria oriundas da região Norte e Tocantins. São centenas de trabalhadores envolvidos nessa área, gerando renda para mais de 20 mil piauienses de forma direta e indireta.

Conclui-se, portanto, que a capital do Piauí, Teresina, cumpre o seu papel de acolhedora dos filhos do interior. São dezenas de intelectuais: Advogados, engenheiros, médicos e professores que ajudam no desenvolvimento da cidade. É também uma cidade hospitaleira, que acolhe todos que a procuram, seja para abrir um negócio ou para um tratamento de saúde mais complexo. As pousadas e hotéis oferecem diárias bastantes flexíveis ao bolso do turista. Então, pessoal! Vamos visitar a cidade do calor. A mais quente da linha do Equador.