Água cristalina, piscinas naturais, mergulhos inesquecíveis e paisagens de tirar o fôlego. Fernando de Noronha pode ser considerado um paraíso na Terra, mas os altos custos de uma #Viagem para o arquipélago fazem com que muitos brasileiros a conheçam apenas por fotos. Uma simples garrafa pequena de água pode custar R$5, por exemplo, uma diária em hotéis de luxo pode chegar a R$ 2.000 e uma refeição em restaurantes simples e com cara de boteco ficam em média R$ 50 por pessoa.

Com preços tão altos, a maioria das pessoas nem sonha em conhecer Fernando de Noronha e o local se torna apenas parte do imaginário. O que pouca gente sabe é que Fernando de Noronha também consegue ser democrática e, além de oferecer dezenas de praias para todos os gostos, contam com opções do dia a dia para todos os bolsos.

Publicidade
Publicidade

Confira abaixo algumas dicas para conhecer Fernando de Noronha sem precisar estourar o orçamento.

Alimentação

Geralmente a alimentação é um dos itens mais caros para quem viaja para Fernando de Noronha. Enquanto muitos restaurantes oferecem o simples PF por mais de R$ 50, há opções como o Restaurante do Jacaré (Vila dos Remédios) e Restaurante do Valdênio (Vila do 30) em que o PF sai por R$ 25. O local é onde os instrutores de mergulho locais almoçam.

Para fazer refeições de noite, a opção mais econômica é o Maiskibon, localizado na praça Flamboyant. Os sanduíches são generosos, com opções vegetarianas, e custam a partir de R$ 15.

Hospedagem

Para se hospedar em Fernando de Noronha sem gastar rios de dinheiro, basta sair da rota de hotéis de alto padrão. Quem está com o orçamento apertado tem como melhor alternativa alugar quartos em residências familiares em áreas como a Vila do 30 e Vila dos Remédios.

Publicidade

Mas também há pousadas que oferecem diárias a partir de R$ 90 em baixa temporada, como a Pousada do Dandão, Pousada Golfinho, Casa da Albertina, Pousada Tubarão e Casa de Mirtes.

Transporte

Os caros bugues não são mais a única opção de transporte no arquipélago. A região conta com uma linha de ônibus, com passagem a R$ 3, que liga o porto à praia do Sueste e passa por diversas atrações adoradas por turistas. Os ônibus circulam todos os dias, saindo a cada 30 minutos, das 7h às 23h30

Também há opção de alugar bicicletas nos centros de visitantes das praias Sueste e do Sancho. O aluguel da convencional custa R$ 16 e o da elétrica, R$ 25. Se preferir os tradicionais bugues, o aluguel custa em média R$ 160 para 24 horas, mas o valor pode chegar a R$ 500 durante a alta temporada. Mas não esqueça que o preço da gasolina local é bem salgado!

Aluguel de equipamento

Tudo em Fernando de Noronha é pago. Os locais costumam dizer que "apenas o ar do arquipélago é gratuito". O aluguel de um guarda-sol, por exemplo, custa R$ 20, mais R$ 10 para cada cadeira.

Publicidade

Já os equipamentos para flutuar nas piscinas naturais é de R$ 20 por pessoa.

Se quiser economizar nesses itens, confira se o hotel disponibiliza cadeiras e guarda-sol e viaje com o seu próprio equipamento de mergulho.

Passeios

Alguns dos atrativos naturais de Fernando de Noronha são pagos. Por isso, para conhecer algumas áreas é inevitável contratar serviços de agências de #Turismo e guias. O roteiro Ilha Tour custa em média R$ 110 e o passeio dura o dia inteiro, passando por diversas paisagens famosas. Para economizar (pelo menos um pouco), pague à vista, pois há desconto para os pagamentos em espécie. Também dê preferência aos passeios que incluem a refeição no pacote para economizar com a alimentação.

Mas, claro, há passeios que podem ser feitos totalmente de graça, como caminhar no centro da ilha, assistir a captura de tartarugas feita por biólogos, palestras noturnas na sede do Projeto Tamar e o famoso e belo pôr do sol na praia da Conceição.

Melhor época para viajar?

Economizar na passagem aérea é uma boa forma de economizar. Entre maio e julho as passagens para a ilha ficam até 30% mais baratas. Ao mesmo tempo, essa é a época com mais incidência de chuva.