Toquem os clarins de Momo. Recife te espera para o carnaval mais multicultural do Brasil. E quando se fala em 'multi', entenda de tudo um pouco e leve em consideração que Pernambuco tem coisas que só se encontra por lá. Mas não é somente com atrações da terra que se faz o carnaval recifense. Para satisfazer todos os gostos e direitos, as apresentações nas dezenas de palcos gratuitos ou camarotes de todos os preços, variam do breguíssimo Wesley Safadão ao sintético DJ Tiesto; do Rappa ao Jota Quest; de Fafá de Belém à Valeska Popozuda; e da filha de baiano Preta Gil à baiana Ivete Sangalo.

Isso e muito, mas muito mais, a gente encontra nos palcos do Carnaval recifense.

Publicidade
Publicidade

É festa que não tem hora para acabar. E que já começou com as prévias e ensaios de rua.

Carnaval em Recife é uma maratona para poucos, porém não é necessário nem possível que se possa assistir a tudo. As opções são variadas e oferecidas em palcos espalhados em diversos polos por toda cidade. Ao turista que quer curtir suas escolhas, cabe conhecer a cidade. Essa aventura serve, inclusive, para muitos moradores também, acostumados que estão a transitarem em roteiros predeterminados e que mal conhecem a cidade. A hora é essa, indo atrás das atrações do Carnaval.

Nas ruas a coisa é diferente e bem mais diversificada, alegre e musical. Centenas de blocos, troças, e agremiações de todos os tipos, ritmos e cores. Dos grupos mais luxuosos como os líricos Bloco da Saudade ou O Bonde, aos mais desprovidos de qualquer investimento, como o La Ursa, formado geralmente por crianças e adolescentes de comunidades mais pobres batendo latas e levando um deles fantasiado com um macacão peludo e vestindo uma fantasia de urso na cabeça, passam nas ruas pedindo dinheiro aos moradores, aos motoristas e aos transeuntes.

Publicidade

As ruas do Recife durante o Carnaval são um espetáculo para qualquer um. E o melhor de tudo é que o recifense está sempre de braços abertos para receber o turista. Sua vocação de anfitrião vem de longa data, pois o Brasil começou pelo Nordeste, e em especial nas capitanias açucareiras. É nesse terreno de massapé que brota tanta manifestação cultural, depois de plantadas as sementes com o sangue e o suor de índios, negros, portugueses, franceses, holandeses, judeus e muito mais outros povos que viam no Novo Mundo uma oportunidade de fazer diferente. Em Pernambuco um mundo novo foi criado, e hoje o resultado dessa criação pode ser vista a qualquer tempo e especialmente no carnaval do Recife. Se você não conhece essa festa e ficou com vontade de vivenciar um pouco disso tudo, não deixe de satisfazer o desejo e organize-se. Certamente você não se arrependerá, e ainda vai querer voltar, nem que seja para tentar ver o que não conseguiu ver na primeira vez.

Mas se você pensa que o carnaval de Recife é o mesmo de Olinda, cidade-irmã, vizinha e tão próxima que parece um bairro da capital, esqueça. Olinda é outra história. Veja a matéria Carnaval em Olinda já começou. #Entretenimento