A duas semanas do carnaval, as ruas das principais cidades do Brasil iniciaram, neste sábado (31), o aquecimento para a festa. A estimativa, segundo estudos realizados, é de 6,8 milhões de turistas no País, no período de 13 a 18 de fevereiro. A maioria são foliões. Muitos comparecem todo ano, já são veteranos. Alguns são novatos e provavelmente serão presença cativa nos próximos anos.

Em meio à toda crise que vem acometendo o País, diante de aumentos abusivos, demissões e falta de água, o povo brasileiro aguarda ansiosamente por este fantástico momento de #Entretenimento. São seis dias de esquecimento dos problemas, de "xô tristeza, eu quero é ser feliz".

Publicidade
Publicidade

Esta festa tradicional é isenta de discriminação social. Todos têm direito à diversão e comemoram juntos este momento. É o momento de "esfriar a cabeça", seja ao som do axé, do samba ou do frevo.

E para a economia, o que representa?

No setor de turismo, esse é um período de alta temporada. É o momento de ganhar dinheiro. Para quem vive disso, é o período mais lucrativo do ano. De acordo com o Ministério do Turismo, o carnaval irá gerar um acréscimo de R$ 6,6 bilhões para a economia do País e fortalecerá o setor de serviços. Este período representará 3% do total gerado por ano no setor.

Os números são elevados, superiores ao ano anterior e impulsionarão, principalmente, os maiores centros de carnaval no País. Em ordem, por quantidade de turistas e impacto econômico: Rio de Janeiro (1,3 milhão de pessoas e R$ 1,2 bilhão de receita); São Paulo (989 mil pessoas e R$ 970,4 milhões de receita); Pernambuco (871 mil pessoas e R$ 858 milhões de receita); Bahia (707 mil e R$ 639 milhões de receita); Minas Gerais (195 mil pessoas e R$ 991 milhões de receita); Santa Catarina (184,5 milpessoas e R$ 182 milhões), Ceará (143 mil pessoas e R$ 140 milhões de receita).

Publicidade

Em Minas Gerais, apesar de um número significativo de turistas, não haverá carnaval em 14 cidades do centro-oeste mineiro , a exemplo de Sabará. Em Mariana (MG), economizar água é questão de tentar preservar o carnaval.

Diante dessas previsões, quem sabe o carnaval possa ser a esperança do brasileiro em reduzir a sombra negra que paira na economia do Brasil em 2015?