Em primeiro lugar, é importante destacar que esta mensagem se circunscreve ao mercado turístico brasileiro. Em seguida, é importante saber o que é, para as empresas de #Turismo e redes hoteleiras, a baixa temporada. Ela inicia logo após o término do verão e, excluídos os feriados prolongados (que incluem o Carnaval), para os quais o ano de 2015 está pródigo, se estende até o verão seguinte.

Duas vantagens e alguns contras. A primeira vantagem é poder evitar as aglomerações tradicionais da alta temporada, onde há lugares nos quais quase não é possível se movimentar (no sul, a cidade de Camboriú é citada como exemplo).

Publicidade
Publicidade

A segunda é aproveitar os preços promocionais dos hotéis e outros serviços, que com a baixa taxa de ocupação, baixam para valer os preços. Diárias de quartos para casal, por exemplo, que na alta temporada custam 300 reais, em hotéis três estrelas são ofertadas por 120 reais.

Duas desvantagens superáveis são: a necessidade de carregar junto parte do guarda-roupa para enfrentar o frio e questões de mau atendimento, devido ao fato de muitos serviços serem desativados durante a baixa temporada. Fora disso, é preciso ter coragem para enfrentar o frio em algumas localidades. Por exemplo, para quem quer ver neve, São Joaquim, a cidade brasileira mais fria, é uma opção.

Para os que oferecem os serviços, é preciso ter criatividade para chamar pessoas interessadas e manter a cidade, algumas das quais vivem exclusivamente das atividades turísticas em funcionamento.

Publicidade

Assim é o início da temporada das feiras e exposições gastronômicas com pratos da região. Há cidades que representam um museu cultural ao vivo, exposto em suas construções, nos costumes de seus habitantes e que são muito pouco divulgadas. Intercâmbios têm início e parece que trazem boas possibilidades. Turismo temático também toma seu lugar ao sol, com destaque para os ecológicos e esportivos, principalmente de competições radicais.

Parece que o leque de escolha para aqueles que gostam de viajar tranquilos e gostam de gastar um pouco menos, aos poucos aumenta. Quando a necessidade bate à porta dos moradores das cidades turísticas, criatividade e imaginação são as únicas saídas. Assim, não se assuste se você agora nas férias de julho for convidado para um Carnaval. É isso mesmo, algumas cidades estão criando Carnavais alternativos fora de época. Se a moda pegar, pode ser que sejam criados novos Natais, espalhados pelo ano para gáudio das crianças, com aumento das possibilidades de ganhar presentes. Aproveite e boa #Viagem.