Planejar uma visita ao exterior não é algo fácil, mas quando se trata de Jerusalém, em Israel, o planejamento tem que ser redobrado. Não pense que ao chegar em Jerusalém você vai encontrar uma cidade perdida no tempo. O local por onde Jesus passou há mais de 2016 anos é um exemplo de cidade moderna que guarda na velha cidade segredos que o homem jamais será capaz de desvendar.

Para chegar lá, você terá que desembarcar em Tel- Aviv e passar por uma das imigrações mais restritas do mundo. Passada essa etapa, siga para Jerusalém, que fica a aproximadamente 50 minutos de carro de lá.

Jerusalém é uma cidade cintilante, capaz de surpreender um turista viajado.

Publicidade
Publicidade

Lá não se fala em guerra, ao contrário do que a imprensa brasileira nos faz pensar. Vivendo em um estado de guerra há milênios, os israelenses já incorporaram a guerra, assim como os brasileiros com o tráfico de drogas. 

A melhor época para visitar a cidade é na primavera e outono, particularmente em novembro, quando costuma chover pouco. No verão, as temperaturas superam 40 graus com facilidade. A maioria dos judeus que vive em Jerusalém fala muito bem o inglês e os árabes se esforçam.

Reserve o primeiro dia de sua estadia para comprar coisas básicas para sua sobrevivência, como água e outras coisas que possam matar sua fome em momentos como o shabat, quando a cidade simplesmente pára às quatro da tarde da sexta e só volta a funcionar no entardecer do sábado. Aliás, não chegue em uma sexta ou sábado, porque você vai encontrar uma dificuldade imensa com relação ao transporte, acredite. 

A partir daí, aproveite, porque você vai ter experiências dignificantes nesta cidade.

Publicidade

Entrar na velha cidade de Jerusalém, onde tudo aconteceu há 2000 anos, é algo muito especial. Já dentro da velha cidade, entrar no pátio que dá acesso ao Santo Sepulcro e colocar suas mãos na pedra onde reza a lenda que o corpo de Cristo foi colocado quando tirado da cruz, é uma coisa que não se vive todo dia não... Passar o anoitecer de uma sexta-feira no muro das lamentações é algo do qual você vai se lembrar para o resto de sua vida.

Para andar por Jerusalém você vai utilizar o trem de superfície, o mais moderno que já conheci até hoje, e com o detalhe de não possuir cobrador. Você mesmo compra o ticket nos pontos em terminais eletrônicos e valida no trem.

Lá os hotéis costumam ser caros e os hostels são muito bons, com excelentes opções, inclusive dentro da velha cidade. Seguem algumas dicas rápidas para você se dar bem:

  • A moeda do país é o Shekel (ILS), que atualmente compra R$-1,01. Leve ou troque no aeroporto a moeda local porque você vai precisar dela, principalmente para se locomover em Jerusalém.
  • Jamais misture leite e carne em uma refeição em Jerusalém, ou seja, nunca peça um cheeseburguer ou coisa parecida. Isso lá é uma heresia e, acredite, pode dar cadeia se você insistir.
  • Mantenha o salvo-conduto que vai receber da imigração Israelense junto do passaporte. Você vai precisar dele quando estiver voltando de Belém, por exemplo.
  • Os hostels lá têm excelentes valores para excursões de um dia ao mar morto ou massada.
  • Procure se hospedar nas imediações da rua Jaffa, que leva ao portão de Jaffa, na cidade velha. É um excelente lugar para uma primeira passagem por Jerusalèm.
  • Evite sinagogas e multidões quando estiver por lá, pois são alvos de terroristas. Você estará mais seguro sozinho, acredite. Deixe para rezar quando voltar ao Brasil.
  • Não desperdice o entardecer de sua sexta-feira em Jerusalém com outra coisa que não seja ir ao muro das lamentações. É um espetáculo à parte !
  • Esqueça câmeras e celulares durante o shabat. Se for usar, faça com discrição e respeito.
  • Como já disse em outro artigo, chegue com 4 horas de antecedência no aeroporto de Tel-Aviv. Você vai precisar desse tempo.

Aproveite caro viajante, porque provavelmente e por um longo tempo você vai se lembrar dessa #Viagem e das emoções que você sentiu ao perambular por um lugar ímpar e repleto de segredos.

Publicidade

E não esqueça do filtro solar!