A falta de precisão na pontaria foi a marca da primeira rodada do Brasileirão. Nas dez partidas realizadas entre o sábado, 14 de maio, e domingo, 15 de maio, pela Série A, as 20 equipes dispararam 219 bolas em direção à meta adversária. Apenas 6,4% das finalizações fizeram a rede balançar.

Isso resultou na menor média de gols de uma jornada de inauguração do #Campeonato Brasileiro, desde que o formato de pontos corridos foi adotado (2003-2015). O índice de 1,4 tento/partida é o segundo mais baixo ocorrido em uma das 515 rodadas completadas até agora. Apenas na 32ª jornada do Brasileirão do ano passado a rede balançou menos vezes.

Publicidade
Publicidade

Em dez partidas, foram somente 12 gols, o que resultou em uma média de 1,2 tento/duelo.

Rodada teve três partidas com placar zerado

Nenhuma equipe foi tão ineficiente na finalização quanto a Ponte Preta. A equipe campineira enfrentou o Figueirense, em Florianópolis, no domingo, e ficou no 0 a 0, placar repetido em três dos dez confrontos da jornada de abertura. Arriscou 20 vezes contra a meta adversária, sendo que 17 das tentativas foram erradas. O time catarinense colaborou com 13 chutes na direção do gol (quatro certos e nove equivocados) transformando o jogo naquele que teve, ao lado de Atlético-MG e Santos, o maior número de finalizações.

A eficiência na disputa entre Galo e Peixe, no entanto, foi ligeiramente melhor. Os atleticanos mandaram 21 bolas na direção da meta adversária (uma a mais do que a Ponte Preta), mas, ao menos, conseguiram fazer um gol.

Publicidade

Os santistas dispararam 12 vezes contra o arco defendido pelos mineiros (quatro acertos e oito erros) sem conseguir superar o goleiro Uilson, sábado, no estádio Independência.

O mesmo campo assistiu a uma outra partida com alto número de finalizações. América-MG e Fluminense fizeram, no domingo, 32 tentativas para conseguir balançar a rede apenas uma vez. Foi o tricolor quem atingiu o objetivo em um de suas 15 arremates (11 errados e quatro certos). O time mineiro chutou até mais, 17 vezes (quatro acertos e 13 erros), mas não superou o arqueiro Diego Cavallieri.

Às vezes, menos é mais

Duas partidas dividiram a condição de confronto com menor número de finalizações. O jogo entre Internacional e Chapecoense, que fechou a rodada número 1 do Brasileirão 2016 na noite de domingo e terminou empatado em 0 a 0, teve apenas 15 chutes ao gol. O Colorado fez nove tentativas, sendo cinco certas e quatro erradas, incluindo uma cobrança de pênalti. A equipe catarinense chutou seis vezes (três acertos e três erros).

Publicidade

Também com 15 finalizações, mas com muito maior precisão, ocorreu o jogo entre Palmeiras e Atlético-PR. Os palmeirenses mandaram 12 bolas em direção ao gol adversário (sete com direção e cinco fora) fazendo quatro gols. Os atleticanos tentaram somente três vezes (um acerto e dois erros).

Foi a maior diferença de gols da jornada inicial, mas não o jogo que teve mais tentos. Esse privilégio coube à vitória do Santa Cruz sobre o Vitória, por 4 a 1, domingo, no Arruda. O duelo teve 17 finalizações e extrema precisão do lado pernambucano. O time de Recife marcou quatro vezes em sete chutes (cinco certos e dois errados). #Futebol #PaixãoPorFutebol