O poeta grego Giórgios Seféris, que em 1963 ganhou o Prêmio Nobel de Literatura, escreveu certa vez sobre os seus patrícios, gregos assim como ele: “estranha gente a que pretende achar-se na Ática e não está em parte alguma. Compram confeitos de amêndoas quando vão casar, usam loção para o cabelo, fotografam-se”, versos esses que significam a identidade peculiar e única de um povo e sua nação, a linda Grécia

E por falar em linda, é justamente na Grécia que os turistas e visitantes podem encontrar as belezas continentais da terra dos deuses; montanhas; vilarejos banhados pela luz da lua cheia; ilhas paradisíacas; mar revolto e baías calmas ao mesmo tempo; sol em abundância e neve que congela a alma em estações muito bem definidas. Repentinamente, alguém pode ter a sensação de que vai deparar-se com uma das muitas criaturas mitológicas ou mesmo com um personagem real da história da Grécia, os quais as pessoas aprendem a conhecer desde bem pequenas. 

Aliado a todos esses componentes apaixonantes, há naquele país agora uma espécie de cruzeiro ecológico, que possibilita férias que podem ser consideradas alternativas aos roteiros já tão bem conhecidos.

Publicidade
Publicidade

A experiência no cruzeiro é singular, uma vez que se têm, como companheiros de viagens, os simpáticos golfinhos e tartarugas marinhas. Ou seja, pode experimentar-se o Mar Mediterrâneo e mais especificamente o Mar Egeu, Jônico ou o Mar de Creta, que banham o país com muito sol, vida selvagem e #Natureza, tudo “temperado” com um pouquinho de ciência. 

O #Turismo grego nos mares e ilhas sempre visou a sustentabilidade marinha, o que só faz aumentar a interação dos seus visitantes com os ecossistemas locais. Para isso, os barcos usados para o transporte das pessoas são menores (logo os grupos de pessoas também são menores) do que os utilizados em grandes cruzeiros típicos do país. Em tais embarcações de madeira cabem até 25 passageiros acomodados sentados. O guia é um ambientalista e muitas vezes cientistas estarão presentes na embarcação. 

Um mar que mais parece mais uma pintura impressionista e que cintila à luz do sol grego acabará lhe conduzindo a litorais escondidos, poderá descobrir ilhas menores não tão conhecidas como Mykonos, Creta ou Santorini, cavernas escavadas nos rochedos marítimos, aves incomuns e outras espécies de animais, praias repletas de conchinhas e, é claro, os já mencionados golfinhos e tartarugas. 

No barco há equipamentos como máscaras, nadadeiras, câmeras digitais subaquáticas de vídeo, que alguns utilizam nos mergulhos, enquanto outros estão preparando um saboroso churrasco em alguma enseada.

Publicidade

Há ainda dezenas de tavernas nas praias e ilhas que o barco atraca. Diante de tudo isso, o que está esperando para ir voando ou mesmo navegando para a Grécia?! #Europa