Neste domingo, 15, o presidente em exercício Michel Temer disse em uma entrevista dada ao 'Fantástico', da TV Globo, que ainda não vai se mudar completamente com a família para a região do Palácio do Planalto, em Brasília. De acordo com ele, isso só acontecer, caso o Senado defina, em decisão definitiva pela deposição da hoje presidente afastada Dilma Rousseff. A jornalista Sonia Bridi, que o entrevistou, quis saber, por exemplo, qual seria o papel de Marcela Temer, que se casou com 19 aos com Michel,  no novo governo. Marcela é 43 anos mais jovem que o marido.  "Ela vai trabalhar. Ela fará ações sociais. Eu já conversei com ela e está tudo certo", respondeu Michel.

Publicidade
Publicidade

Sonia então questionou se Marcela teria alguma formação social para isso. "Ela é advogada", devolveu ele. 

Em outro momento, Temer disse que sabe que não tem grande popularidade, mas que acredita que ao longo do governo isso irá mudar conforme os resultados forem atingidos, especialmente os da economia, superando a crime. O peemedebista ainda afirmou que protegeria os mais pobres. Ele disse que se for necessário cortará dinheiro de outros setores, deixando os mais carentes com recursos como o 'Bolsa Família' e o 'Minha Casa, Minha Vida'. O 'Fantástico' quis saber como o político faria para superar a baixa produtividade dos brasileiros. Ele disse então que hoje existe um déficit muito grande, especialmente na educação, juntando os municípios, estados e o governo federal. 

Crise

Sobre a crise, Michel lembrou que está fazendo muitos cortes, a começar pelos Ministérios.

Publicidade

Ele acredita que conseguirá fazer de quatro a cinco mil exonerações em cargos comissionados. Temer confessou que ainda não decidiu o que fará com a Previdência, mas que algo precisa ser feito. "Se um ou outro Ministro não agir corretamente, ele estará fora. Eu demito Ministro", revelou ele. 

Falta de mulheres e Lava Jato

Outra crítica comentada é a falta de Mulheres nos Ministérios. Ele então disse que teria pelo menos quatro mulheres em posições chaves do governo, criando a Secretaria de Cultura, Comunicação e Cidadania. O peemedebista ainda pretende continuar com os mesmos membros da investigação Lava Jato, dizendo que o poder executivo não deveria interferir nessas questões, especialmente quando já em andamento. 

Bom Português

A boa fluência na língua portuguesa foi o melhor elogio a Temer durante a entrevista. "Há 14 anos não ouvia um presidente brasileiro acertar a nossa língua", disse um internauta no português.  #PT #Michel Temer