A nossa saúde mental pode afetar diretamente a nossa saúde física, mostrando como realmente reagimos às exigências que a vida costuma fazer. E isso costuma envolver a nossa capacidade, desejos, emoções, ambições e atitudes que temos com nós mesmos e também com as pessoas que estão convivendo diariamente ao nosso lado. Se não tentarmos resolver esse problema, ele vai acabar refletindo em nossa saúde física, seja através de doenças, distúrbios alimentares ou compulsões.

Apresentar algum tipo de sofrimento psíquico em algumas fases de nossa vida é algo comum, e precisamos estar cientes de que nem sempre isso vai se tornar uma doença mental, e sim, que isso pode ser apenas um desiquilíbrio emocional, que, muitas vezes, se reflete em uma oscilação, afetando nosso sistema biológico.

Publicidade
Publicidade

Não devemos deixar que isso assuma um papel negativo em nossa vida, mesmo que a rotina diária seja extremamente estressante, precisamos aprender a controlar certas situações que podem nos prejudicar.

Saiba por que, muitas vezes, nos sentimos mais velhos ou mais novos do que somos, e aprenda a superar os desiquilíbrios que essa situação pode trazer:

1 - Juventude

De acordo com o psicólogo Tiago, quando carregamos um espirito jovem, conseguimos aproveitar muitos momentos de nossas vidas de uma forma mais benéfica e prazerosa, sempre procurando vencer novos limites e não se importando com os valores morais que são colocados pela sociedade. Se você acha que envelhecer não é algo preocupante, sua mente carrega traços joviais e sua impulsividade está sempre acima do medo que algumas situações podem oferecer.

Publicidade

Como tudo tem o seu lado negativo, ter uma mente jovial pode lhe trazer a falta de censura e gerar algumas  dificuldades em seu convívio social. O neuro psicólogo Alexandre Monteiro alerta que esse tipo de #Comportamento pode trazer alguns males a saúde “Quando acreditamos demais na nossa saúde mental, acabamos não cuidando da nossa saúde corporal, extrapolando em atividades que o nosso corpo não está preparado para realizar”, afirma o médico.

2Mente e corpo sintonizado

Muitas pessoas aceitam que a idade chegou e com isso aprendem a conviver de uma forma benéfica com cada nova fase de sua vida. Elas sabem que forçar situações não é a melhor maneira de adquirir novas experiências, mas também não deixam que boas oportunidades passem despercebidas.  Precisamos aprender a utilizar de forma construtiva a leveza e a facilidade que esse novo alguém oferece, evitando certas atitudes e situações constrangedoras que podem surgir com comportamentos inapropriados à nossa idade. “O certo é buscarmos o equilíbrio em todas as nossas ações, adquirindo atitudes mais ousadas quando temos a certeza de que isso irá valer a pena e também assumirmos uma postura conservadora quando notamos as chances de cometermos erros em algo importante e de difícil reconstrução”, ressalta o psicólogo.

Publicidade

3 - Maturidade

 Aceitar e respeitar o envelhecimento se torna um dos maiores desafios de nós, seres humanos, com o passar dos anos somos obrigados a nos aventurarmos em situações que são desconhecidas para nós, por isso o psicólogo Tiago aconselha a não ter medo de se aventurar nessas situações, pois muitas delas vão depender apenas de nossos esforços para dar certo.

 A insegurança também pode chegar junto com a idade, e compartilhar nossas tarefas com outras pessoas pode se tornar algo extremamente conflitante e estressante, mas dar a chance de aprender e a ensinar, é uma situação que oferece muitos benefícios. “Agora, se você é uma pessoa jovem e consegue conviver positivamente com pessoas mais velhas, certamente a sua mente é mais madura do que a sua idade”. #Dicas