Os pets acabam sofrendo mais durante o #Inverno devido às baixas temperaturas.

Em casos extremos, a falta de cuidados pode levar os bichinhos a óbito.

Para o veterinário Paulo Baccan Maximino (CRMV-SP 12-698), formado pela Universidade de Marília (UNIMAR), as épocas de frio e chuva acabam sendo mais prejudiciais aos #Animais “O indivíduo que toma chuva e fica no frio acaba tendo um caso patológico que pode levar a óbito caso não seja ofertado um tratamento.”.

Animais idosos e filhotes são os que mais sofrem com as baixas temperaturas. Os “filhotes sofrem mais porque o sistema imunológico está em desenvolvimento”, já os idosos porque “o sistema imunológico não consegue mais se defender sozinho”.

Publicidade
Publicidade

Com animais não vacinados, a situação pode ser ainda pior, podendo acarretar várias doenças, sendo a mais comum delas a cinomose “conhecida como a doença que descadeira, onde o animal fica descadeirado e se arrastando”. Pode levar a convulsão e possivelmente a óbito. O tratamento é todo medicamentoso (por medicamentos).

Uso de roupinhas

Para a estudante de jornalismo Talita Ferrer Freitas (21), dona de 5 gatos e 1 cachorro, o uso de roupinhas é indispensável "para os gatos, eu sempre deixo dentro de casa no inverno e compro roupinhas, o mesmo para meu cachorro, como é apartamento ele já fica dentro de casa, mas, mesmo assim, colocamos roupinhas e o cobrimos com um cobertor para mantê-lo aquecido".

Mas o veterinário alerta: “pode usar roupinha, mas precisa ter critério, não pode deixar 24 horas.

Publicidade

Coloca durante a noite e tira durante a manhã. E essa roupinha tem que ser lavada com frequência, senão abafa a pele e pode causar problemas dermatológicos no animal”. Ele complementa ainda, dizendo que o uso da roupinha nos pets pode ser fatal caso o animal se molhe, gerando um estado de hipotermia que pode matar: "O organismo sabe enxugar o corpo dele, mas não a roupinha".

Dona de 2 gatas e um cachorro, a funcionária pública, Raquel Monchelato (19), conta que seus pets não são adeptos do uso de roupinhas, porém, ela não dispensa o uso de cobertas para mantê-los aquecidos.

Cuidados

O doutor ressalta a importância de atender as necessidades do pet oferecendo, pelo menos, o mínimo necessário para que ele tenha uma vida saudável.

“Independente de ser universitário ou não, adquiriu um filhote, procure orientação do veterinário. Às vezes, no primeiro atendimento que nós fazemos, já é realizada uma orientação pediátrica ensinando a conduzir o primeiro ano de vida. É interessante fazer isso, por ser algo que ninguém da atenção. A medicina preventiva é mais barata que a medicina terapêutica.  Você esperar ter a doença, resulta em gastos muito maiores. Adquirindo um filhote, você precisa ter ciência que terá gastos. Se o orçamento está reduzido por conta da faculdade, então nem tenha.” #pet