Hoje em dia é cada vez mais difícil saber se o parceiro (a) é de fato fiel. Segundo uma psicóloga brasileira, Ana Maria Zampieri, que fez uma grande pesquisa acerca da #traição nos relacionamentos, atualmente mais da metade dos casais brasileiros traem. Boa parte das pessoas traídas perdoam o (a) parceiro (a), outra parte não e o restante simplesmente se obstem de tratar desse assunto por medo de que descubra uma provável traição e tenha que terminar um relacionamento bom. A especialista em relacionamentos ainda revelou que passou cerca de 5 anos estudando a traição nos casais e descobriu algo realmente curioso: para os homens e para as mulheres a possibilidade de traição é praticamente a mesma.

Ou seja, se antigamente as pessoas tinham em mente que dificilmente uma mulher trairia o seu parceiro, Ana Maria Zampieri, com a sua pesquisa, provou que hoje não é isso o que está acontecendo.

Publicidade
Publicidade

Elas também traem bastante, principalmente quando passam dos 40 anos de idade. “Antes se pensava que eles traiam mais que elas. Mas vimos que os números são muito parecidos. A diferença é que ele é menos cuidado na hora de esconder a fidelidade”, explica a profissional. Por outro lado, de acordo com a pesquisa, as mulheres que traem conseguem esconder melhor a traição do que o homem e isso, segundo a psicóloga, explica o pensamento de que o homem trai mais que a mulher.

Nos comentários dessa matéria você pode ver um link que vai te direcionar para um Quiz que faz perguntas sobre o seu relacionamento e dá um resultado sobre se você está sendo traído (a) ou não.

Ana Zampieri também comentou que, de acordo com os resultados da pesquisa, quando o assunto é a traição, os homens costumam praticar esse ato ao longo da vida, já com relação às mulheres “estão mais propensas a se render aos amantes a partir dos 40 anos, quando os filhos já estão crescidos”, revelou a especialista.

Publicidade

A pesquisa feita pela psicóloga revela que cera de 60% dos 4500 casais analisados já passaram por traição, ou seja, mais da metade dos entrevistados.

No entanto, a pesquisadora não contou sobre os motivos que levam as pessoas a traírem os parceiros (as). Isso, para ela, depende de cada caso, pois cada casal tem suas peculiaridades e as pessoas, em suas individualidades, também são diferentes.