Ilusão de óptica é o nome utilizado para tudo que engana os nossos olhos. Essas ilusões podem surgir naturalmente ou serem criadas através de ferramentas que enganam os nossos sentidos. Dentre os cinco sentidos que temos (tato, olfato, paladar, audição e visão), a visão é o sentido que envia com maior rapidez informações ao nosso cérebro. Por esse motivo, quando olhamos rapidamente uma paisagem como essa da foto, enviamos apenas uma mensagem básica de visão para que nosso cérebro a processe. Como não observamos todos os elementos, essa informação é enviada de maneira básica e entendida da mesma maneira. Se pararmos e dermos uma boa olhada na foto, iremos encontrar a mulher escondida. 

O trabalho que possibilita tal ilusão de ótica é chamado body paint (em tradução livre, pintura corporal).

Publicidade
Publicidade

Esse trabalho consiste em verdadeiras telas e obra de artes humanas. O artista usa o corpo das pessoas como telas e, nesse caso, camufla através da pintura o corpo da modelo à paisagem.

A beleza dessa foto não está apenas na paisagem do outono que chegou. A primeira vista a foto mostra somente um muro de pedras, um portão antigo e muitas folhas caídas. A chave da beleza da foto é essa mulher escondida. Não parece, mas ela está aí na foto. A grande maioria das pessoa não consegue enxergá-la. Um dica: olhe atentamente o lado direito da imagem.

Esse trabalho foi possível graças ao artista especialista em body paint, Jörg Düsterwald, e ao fotógrafo Tschiponnique Skupin. Essa dupla talentosa está famosa no mundo todo e tem outras obras de arte escondidas como essa.

Mas se você ainda não conseguiu enxergar a mulher que está escondida, iremos te ajudar.

Publicidade

Observe bem o tronco da árvore. Consegue encontrar? Ainda não? Olhe com bastante atenção o tronco e as folhas caídas. Agora sim, aposto que você encontrou. Se não conseguiu de primeira, não há razão para vergonha, já que você não prestou atenção e enviou a informação muito rapidamente para o seu cérebro, que não conseguiu analisar a foto. A culpa, em tese, é dele. #ilusaodeoptica #incrivel #superinteressante