O desembarque da Normandia, em 6 de junho de 1944, representou um dos acontecimentos mais importantes da história das civilizações, em função das batalhas que se seguiram pela Europa, em todo trabalho de recuperação dos territórios ocupados pelos nazistas, libertando cidades e promovendo combates sistemáticos, que contribuíram para a rendição do exército Alemão.

O desejo de construir um percurso desta natureza, surgiu com a série "Band of Brothers", que retratou os deslocamentos de uma companhia de paraquedistas americanos, chamada Easy Company, divisão da unidade 101 das forças militares que combateram na segunda guerra mundial.

Publicidade
Publicidade

A série conta o percurso desta divisão militar, desde os primeiros dias de treinamento anterior ao desembarque do dia D, bem como as principais batalhas travadas em território europeu, com uma produção impecável dos mestres Steven Spielberg e Tom Hanks, uma verdadeira obra de arte, obrigatória para os amantes de história, cinema e filmes de guerra ou ação.

Como estariam algumas destas cidades atualmente? Como seria a experiência de visitar museus e outros locais consagrados, como as praias de Utah, Omaha, Gold, Sword e Juno? O planejamento e preparativos desta aventura consumiram várias horas livres, quatro meses de antecedência e muita expectativa. A trajetória da companhia Easy, descrita pelo filme, demandaria um tempo considerável, elevados riscos logísticos e despesas potencialmente crescentes.

Publicidade

Sendo assim, seria crucial avaliar as cidades que deveriam ser percorridas com precisão. O prazo total para a viagem foi estipulado em 17 dias e tratava-se de pouco tempo para estabelecer uma trajetória que foi percorrida durante meses. A Easy desceu de paraquedas atrás das baterias aéreas das praias da #Normandia, passando por Carenthan, Holanda, Bélgica com a famosa batalha de #Bastogne, descendo pela Europa, cruzando por diferentes cidades, até a cidade alemã de Berchtesgaden situada nos Alpes Bávaros, a 30 km de distância ao sul de Salzburgo.

Outro ponto de considerável importância para a beleza da viagem é priorizar a via férrea, o quanto possível, visto que as viagens de trem pela Europa constituem uma aventura especial. O percurso começou com a parte aérea do Rio de Janeiro para Paris, com imediato deslocamento para a estação de trem, em direção a Estrasburgo. Ao invés do início se dar pela Normandia, tal qual a invasão do dia D, por razões logísticas evidentes para quem se desloca da América do Sul, tivemos que decidir por fazer o caminho inverso da Easy, descartando a viagem ao Ninho da Águia, para não correr o risco de ficar preso por algum imprevisto climático.

Publicidade

Fomos de Estrasburgo para Luxemburgo, passando por Bastogne, tendo oportunidade de conhecer inúmeros museus de história, castelos medievais, passeios pelas cidades, que já são verdadeiros monumentos históricos, por si mesmas.

Estarei escrevendo outros capítulos contando os detalhes da viagem propriamente dita. Por enquanto, vamos concluir as questões logísticas que poderão ajudar a todos vocês, em termos do plano de uma viagem temática que é consideravelmente emocionante. Depois de Luxemburgo e Bastogne, seguimos para uma pequena cidade maravilhosa chamada Ghent ou Gante na Bélgica e depois Bruges, que são verdadeiros museus históricos a céu aberto. Qual o segredo desse roteiro? Se vocês colocarem no Google maps, verão que estamos seguindo em direção norte e depois da chegada em Bruges, é possível retornar ao território francês, através de estradas paralelas à Normandia. Com isso foi possível descer até Calais, seguindo para Dieppe, passando por Le Havre até Caen que serviu de base para obter descanso e recuperar o fôlego para a próxima etapa.

O movimento final de nosso roteiro foi conhecer o famoso castelo de Mont Saint Michel que é indescritível e fica localizado no litoral oeste da França e um retorno triunfal para Paris para um final de viagem épico. Nosso próximo encontro será o detalhamento desta gigantesca aventura de apenas 17 dias. #"Band of Brothers"