O estado da #Bahia, no Brasil, possui um potencial turístico que dispensa apresentações, sendo um dos destinos mais procurados por visitantes (nacionais e estrangeiros) principalmente durante o período de Carnaval. Entretanto, se você opta por um estilo de vida e #Viagem mais aventureiro e econômico, como os adeptos das viagens estilo mochilão, vai adorar esse oportunidade de experimentar desafios e se conectar com a natureza de forma mais intensa, num dos ‘paraísos’ localizados ao sul da capital, Salvador. Trata-se de uma pequena cidade chamada Itacaré.

Como chegar?

Existem dois jeitos de chegar até essa cidade. O primeiro é através do aeroporto de Ilhéus, a apenas 70km da Itacaré, e que recebe voos diários da TAM, Gol, Azul e Avianca vindos de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Campinas e Salvador.

Publicidade
Publicidade

A partir de Ilhéus

A partir do aeroporto há três opções: alugar um carro, contratar um transfer/táxi ou chegar a Itacaré de ônibus. Se estiver de carro, basta seguir pela BA-001 até o destino final. Os táxis ou transfers variam entre R$180 e R$220. O jeito mais econômico para viajar até esse destino é seguir de ônibus, custando em média R$ 16 a passagem. O trajeto dura cerca de duas horas e é feito pelas empresas Águia Branca e Cidade Sol.

A partir de Salvador

A partir de Salvador a viagem é mais longa, tendo inicialmente de pegar o ferry boat até Bom Despacho, na ilha de Itaparica, no valor de R$4,80 (semana) e R$ 6,40 (finais de semana), e de lá seguir também pela BA-001 até Itacaré. São as mesmas empresas, Águia Branca e Cidade Sol, que fazem o trajeto de Bom Despacho até o destino, mas com horários mais restritos.

Publicidade

Esse trecho final de ônibus, desconsiderando o ferry, leva cerca de cinco horas de viagem e o valor é em média de R$ 80.

Praias urbanas

Itacaré possui um circuito de praias urbanas, todas muito preservadas e com uma suave infraestrutura para o turismo, agradando principalmente viajantes que buscam um passeio mais livre de poluição sonora ou vendedores ambulantes. As praias de acesso mais próximo à cidade são as consecutivas: Praia da Concha, Resende, Tiririca e Ribeira. É na Praia da Ribeira que começa a aventura para encontrar a trilha para a famosa “Prainha”.

A trilha até a Prainha

A caminhada se inicia por uma trilha lateral da Praia da Ribeira, onde são oferecidos os serviços de guias, custando em média 30 a 50 reais. É recomendável para grupos iniciantes, pois o caminho por dentro da mata pode confundir pessoas inexperientes. Porém, se você tem um bom senso de direção e se sente apto a seguir as orientações corretamente, descobrirá locais muito peculiares e surpreendentes pelo caminhada, podendo aproveitar o silêncio do afastamento da vida urbana e ouvir os sons da natureza.

Publicidade

Aos desbravadores se recomenda um calçado resistente e um bom cantil com água, pois nesta trilha gasta-se em média 40 a 50 minutos de caminhada, com elevações de terreno, formações rochosas e muita vegetação. Em tempos mais chuvosos é possível ver até uma pequena queda-d’água no meio do caminho. O esforço é recompensado pela beleza encantadora da jornada.

Prainha, paraíso encontrado!

Após vencer o desafio da trilha, você se depara com o Cartão-postal de Itacaré, a Prainha, escondida dentro de uma reserva particular e considerada uma das praias mais bonitas da Bahia. Existe um mirante natural, onde se visualiza toda a praia e seu festival de cores, verdes coqueiros altos, formações de pedra cobertas de mata atlântica, areia clara e um mar sensacional.

É uma praia muito frequentada por surfistas, com ondas bem propícias aos iniciantes desse esporte, não há restaurantes ou quiosques próximos, apenas uma barraca que servem água de coco e sucos naturais. O que ajuda a preservar a integridade natural do local. Um lugar realmente especial para renovar suas energias e aproveitar novas experiências. E ai? Que tal preparar sua mochila para embarcar nessa aventura? #Mochilão