Considerado o melhor resort do mundo em 2016 pela prestigiosa publicação Condé Nast Traveler, o resort da família do ator Marlon #Brando conquistou o título concorrendo com postulantes de peso. Não foi à toa. Não bastasse o luxo e a privacidade que oferece, isolado em uma ilha dentro de um atol particular na Polinésia Francesa, o The Brando deixou os concorrentes a ver navios por um motivo real: seu compromisso com a sustentabilidade. Pierre Lesage, Diretor Geral de Marketing do The #Brando, destaca a preocupação em cada detalhe. “Somos autossuficientes e temos que ser para que este lugar permaneça intocado para as futuras gerações”. Obama, Leonardo DiCaprio e Oprah Winfrey, entre outros, já se apaixonaram pelo conceito e pelo resort.

Luxo sustentável garantiu o prêmio

De fato o The Brando se destaca de seus concorrentes devido a um sonho que o ator Marlon Brando concretizou em seu testamento.

Publicidade
Publicidade

Luxo com sustentabilidade”, explica Silvio Bion, gerente geral, que mora no atol.

Praticamente desconhecido no Brasil, somente agora o resort passa a ser comercializado por algumas agências de viagem especializadas em turismo de luxo. Com enormes painéis solares que podem ser vistos logo na chegada, dispostos ao lado da pista de pouso, praticamente tudo no resort é movido à energia solar. Há um aeroporto privativo construído especialmente para acessar o resort. Detalhe: não há outra forma de chegar ao The Brando. Todo o ar frio que alimenta o sistema de ar condicionado vem das profundezas do Pacífico sul. Bombas sugam água a quase um quilômetro de profundidade. Após refrigerar todo o complexo, passando por dutos espalhados pelo resort, a água, que chega a quatro graus centígrados, é devolvida ao mar da mesma forma como foi retirada: pura e cristalina! Até mesmo os protetores solares, oferecidos como cortesia aos hóspedes, são ecológicos.

Publicidade

Foram desenvolvidos especialmente para o hotel e não agridem corais e a espetacular vida marinha que está por toda a parte.

Sem mosquitos no paraíso

Não existem mosquitos neste paraíso”, explica Cristianne Coelho, diretora de Marketing e Vendas da Kurt-Ahlers, que representa o The Brando no Brasil.

Há na ilha uma estação científica disputadíssima por pesquisadores e cientistas do mundo todo, que estuda alternativas ecológicas de preservação. Bancada pelo The Brando, uma das experiências bem sucedidas desta estação é o processo de erradicação dos mosquitos utilizando controle genético dos mosquitos machos.

São apenas 35 vilas espalhadas por toda a ilha e decoradas em estilo rústico-chique. Cada uma tem piscina e praia privativas. “Mesmo com lotação total é difícil cruzar com alguém e até mesmo os funcionários são treinados para serem virtualmente “invisíveis”, garante o chefe dos concierges Jean-Philippe Gaud. Tudo está incluído na diária(all inclusive), que fica acima da média dos hotéis desta categoria no mundo.

Publicidade

Mas restaurantes Michelin e bares estrelados estão espalhados pelo atol, que abriga, além do resort, uma vila construída especialmente para os funcionários, além de toda a infra estrutura necessária para tocar o empreendimento.

Tarita Teriipaia: a força da paixão!

A história é longa e teve início quando Marlon Brando gravou o filme “O grande motim”, no início dos anos 1960. Se apaixonou não só por ##tetiaroa, o atol onde gravava, como também pela atriz principal, Tarita Teriipaia, uma taitiana que simboliza a cultura e a beleza locais até hoje. Comprou o atol e construiu várias casas para se refugiar quando não estava gravando pelo mundo e surgiu a ideia de dividir tal beleza com o resto dos mortais por meio de um paradisíaco resort totalmente autossustentável. “Deu tão certo que o hotel coleciona prêmios, afirma orgulhoso, Jean-Philippe Gaud , mostrando uma parede repleta de medalhas, troféus e condecorações. Para o hóspede tudo isso passa despercebido. Mas quem olha para o mar de uma cor quase impossível, bem em frente ao seu bangalô, entende imediatamente o que a força dessa paixão foi capaz de construir. #paulopanayotis