O jornal online “Em Tempo” noticiou na sua edição de ontem, 13 de dezembro, que uma professora foi estuprada em Paritins, a 369km de Manaus, no estado do Amazonas, enquanto dormia. Esse caso macabro está revoltando os moradores, que saíram à rua para pedir justiça. O #Crime aconteceu na noite de quinta-feira (10).

A professora estava dormindo em sua casa, juntamente com os dois filhos, quando foi surpreendida pelo estuprador. O homem, de nome Aleson dos Santos Reis, conhecido no lugar como 'Capivara', estava completamente despido e armado com uma faca.

Quando tudo aconteceu, os dois filhos da professora estavam dormindo na mesma cama que ela.

Publicidade
Publicidade

Segundo o "Em Tempo", as crianças começaram a chorar e o criminoso, de imediato, bateu em uma delas. A mulher pediu, então, que ele deixasse os meninos saírem, um pedido que foi aceito pelo homem.

Depois de deixarem o quarto, uma das crianças conseguiu fugir de casa e avisou os vizinhos, que chamaram a polícia. O estuprador, ao perceber que tinha sido descoberto, conseguiu fugir do local, permanecendo foragido até ao momento.

O delegado de Parintins falou ao jornal online "Em Tempo". Segundo o responsável da polícia, uma equipe de investigadores está em busca do estuprador. As autoridades sabem que ele deve estar escondido na cidade, na casa de familiares. O delegado revelou ainda que a professora e os seus dois filhos, um deles especial, estão recebendo apoio psicológico no Núcleo de Atendimento à Mulher.

Publicidade

Os moradores estão revoltados

Ao perceberem o que tinha acontecido, os moradores demonstraram toda a sua revolta nas ruas. A população pede justiça e que o estuprador pague pelo crime hediondo que cometeu. A revolta é ainda maior pela razão do criminoso não ter respeitado sequer as crianças e por ainda ter agredido uma delas.

A cada 11 minutos uma pessoa é estuprada no Brasil

Embora o número de estupros tenha representado uma queda de 7% em relação a 2013, o número de abusos continua sendo demasiado elevado. No Brasil, uma pessoa é abusada a cada 11 minutos e esse número pode, na realidade, ser ainda maior, uma vez que a estatísticas indicam que só 35% das vítimas prestam queixa na polícia.

O que acha que as autoridades deviam fazer para acabar com esse tipo de crime? Escreva a sua opinião nos comentários. #Amazonas #Violência