Após quase um ano do último atraso de bolsas da Fundação de Amparo à Pesquisas do Estado do #Amazonas (#Fapeam), o governo resolveu celebrar a data de aniversário da demora dos pagamentos, ocorridos também em dezembro de 2014. Cientistas e estudantes ainda não receberam os salários referente ao mês de dezembro de 2015. De acordo com eles, a fundação informou que aguarda a abertura do ano fiscal de 2016 para realizar o repasse da verba.

A Fapeam é o órgão que fomenta pesquisas no estado do Amazonas, ela é responsável pelo envio do pagamento de bolsas dos estudantes para que possam ter suas pesquisas financiadas. Os bolsistas afirmaram que ainda não receberam o dinheiro referente a dezembro até o esta quarta-feira (13).

Publicidade
Publicidade

Ainda segundo eles, o pagamento do mês de novembro ficou atrasado em 21 dias. “Os bolsistas recebem normalmente nos últimos dias de cada mês e a bolsa de novembro só recebemos no final de dezembro. A que deveria ter sido depositada este mês ainda não saiu. Não sabemos nem quando ele vai cair. Fica difícil porque eu conto com este dinheiro para alguns compromissos”, disse um bolsista da Fapeam que preferiu não se identificar.

Segundo a doutoranda Ana Emília Guedes, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), a situação tem ficado caótica com o atraso das bolsas. Como mora em outra cidade, a estudante relatou ter dificuldades para se sustentar pois gastou todas as economias na mudança para Natal a fim de fazer o doutorado. “Estou emocionalmente abalada e preciso da ajuda de psicólogo porque não consigo dormir de noite.

Publicidade

São contas em cima de contas, aluguel, condomínio, feira, criança [...]”, disse Ana em tom de tristeza.

A bolsista entrou em contato com a fundação, que informou não haver nenhuma previsão para o pagamento do mês de dezembro atrasado.

Não tão diferente de Ana é o de Minas Gerais que ainda não recebeu os valores de setembro, outubro e dezembro de 2015. “Ainda não há previsão de pagamento deste mês e nem da retroatividade das bolsas. Eles esquecem que nós temos contas de aluguel, luz, água, telefone e alimentação”, disse ele. O bolsista tentou contato com o conselho diretor no dia 14 de dezembro de 2015, mas até esta quinta-feira (14), um mês depois, ainda não obteve respostas.

A equipe da Blasting News entrou em contato com a Fapeam e não obteve sucesso até a publicação desta reportagem. A BN esperou 40 horas para o posicionamento da fundação.

Manifestação

Na última quinta-feira (7) cientistas da Fapeam se reuniram em frente a sede Governo do Estado do Amazonas, localizado na Avenida Brasil, zona Oeste de Manaus, para cobrar uma solução dos responsáveis.

Publicidade

Cerca de 45 pessoas estiveram presentes e carregavam faixas e cartazes contra a falta de importância que está tendo.

De acordo com um dos manifestantes existem pesquisadores de iniciação científica que estão com o pagamento atrasado a quatro meses.

Obs.: Alguns bolsistas preferiram não divulgar os nomes por medo de retaliação.

Foto: Manifestação realizada em Manaus na sede do Governo