Mais um acaso de estupro a vulnerável foi registrado na cidade de Manaus, no #Amazonas, nessa terça-feira. Uma menina, de apenas 12 anos, após ser abusada novamente pelo próprio pai, dentro da casa em que a família mora, resolveu denunciar o caso para a mãe. A menina escreveu uma carta, relatando os abusos e pedindo ajuda, e entregou para a mãe, que abalada, procurou policiais da zona leste da cidade pedindo socorro.

Relato da criança

Na carta entregue à mãe, a menina fala que os abusos já aconteciam há algum tempo. Relata que tudo começou quando o pai veio com uma história de luta, ela quis tirá-lo de cima dela, mas não conseguiu.

Publicidade
Publicidade

Que ela sentia nojo, não queria olhar para a cara dele, mas tinha que agir como se tivesse tudo normal, além disso, não conseguia evitar os abusos do pai. Ela disse que não aguentava mais ouvir notícias de abuso no jornal, pois isso doía muito nela, mas não tinha coragem de contar. A jovem conta que já tinha escrito outra carta, mas teve medo de entregar para a mãe. Diz que chorava muito, apesar deles não verem, e que por isso sentia muita raiva de repente.  

A jovem tinha medo, sentia vergonha e na carta pede perdão à mãe, pois sentia como se estivesse lhe traindo. 

Pai foi preso

Após ler a carta e ouvir depoimento da menina, uma viatura foi até  a casa do suspeito, e o prendeu em flagrante, na noite da última terça-feira.

Na delegacia, o pai da menina, que tem 34 anos, e trabalha numa indústria durante o dia e como mototaxista à noite, negou as acusações da filha.

Publicidade

Mas, de acordo com a assessoria da Polícia Civil, o laudo do IML (Instituto Médico Legal), confirmou os abusos. 

Ele foi autuado por estupro e será encaminhado à Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa.

Dados em Manaus

Somente na cidade de Manaus, no período de janeiro de 2014 até maio de 2016, foram registrados 1283 casos de estupro a menores de 18 anos. Sendo 551 em vítimas com idade entre 12 e 17 anos. Os outros 732 casos, em menores de 11 anos. Levantamento foi feito pela  SSP-AM (Secretaria de Segurança Pública do Amazonas). 

De acordo com a delegada Juliana Tuma, a maioria desses casos de estupro são cometidos por pessoas próximas ou familiares da criança, o que inibe a vítima de revelar o #Crime.  

Juliana diz ainda que é necessário que a mãe esteja atenta ao comportamento das crianças, que sempre mudam em casos de abuso. Elas costumam se isolar, ficam agressivas, tristes e têm alterações no sono. Criar uma relação de confiança com os mesmos ajuda a descobrir ou até mesmo a evitar esses casos.  #Casos de polícia