A liberdade de expressão chega a pontos distantes do bom senso nos dias atuais. Por necessidade de aparecer, ou por ideologia mesmo, porém, sem saber se expressar pelos meios adequados, muita gente anda "pisando na bola" na hora de se manifestar. Em um momento de transição dos comportamentos, atrelado ao grande desenvolvimento tecnológico da comunicação através da Internet, a nudez aparece como a forma mais rápida, simples e eficaz de entrar em contato com o mundo. Talvez estejamos querendo fazer o caminho de volta ao Éden.

Para poder se fazer conhecer ou se manter na memória de todo mundo, as pessoas estão, literalmente, tirando a roupa.

Publicidade
Publicidade

Principalmente as mulheres. Cantoras só vendem shows se aparecerem quase nuas neles e, antes deles, tem que publicar muitas fotos classificadas pelos editores de notícias como "ousadas". Desconhecidas tentam conseguir, através da exposição de seus corpos, o título de miss isso ou miss aquilo. Seguindo o mesmo caminho dos concursos de miss de antigamente, mas de uma forma um tanto distorcida, qualquer uma pode se tornar "celebridade" nos dias de hoje. Antes se buscava a beleza, hoje, infelizmente, com as fábricas de silicone e os maquiadores trabalhando a mil por hora, qualquer "dragão" pode ser catapultado ao título de mais bonita detentora de peitos siliconados, nádegas siliconadas, coxas idem, barrigas lipoaspiradas e por aí vai...

Como um verdadeiro mercado ao ar livre de escravas ou prostitutas, essas mulheres se lançam atrás de quem pague mais por seus dotes.

Publicidade

Do outro lado, outras tantas se despem para defender direitos que pouca coisa tem a ver com a nudez. A mais recente manifestação foi em pleno Vaticano, quando um presépio foi atacado por uma ativista do grupo Femen, que defendia a ideia que Deus é mulher. A coitada foi presa e, certamente, não invocou para sua manifestação muito apoio à ideia que tentou pregar. É mais fácil vê-la como uma doidivana que quis aparecer e ter seus 15 minutos de fama. Conseguiu. E não só isso: muita gente achou foi graça de sua manifestação político-religiosa. Tempos modernos os que vivemos, pois, há não muito tempo, naquela mesma região, a pobrezinha seria, também, presa, porém, em vez de ser levada à cadeia, seria levada à morte numa fogueira no meio da praça, para júbilo dos descontentes com aquela heresia.

Mas se essa moça mostrou sua nudez parcial quando quis expor suas ideias, pelo menos não se explodiu com bombas atadas a seu corpo, como outras pessoas fazem quando querem mostrar suas insatisfações ideológicas.

Publicidade

Que as pessoas tirem a roupa, então. Um par de mamas expostas é sempre menos prejudicial que um par de bananas de dinamites. Quanto àquelas que estão procurando quem as sustente, não há com que se preocupar, afinal a sociedade é sempre acolhedora e hipócrita para com as mulheres. Fazemos de tudo para transformá-las em boas mercadorias para o melhor uso. Esse é apenas o resultado de tanta banalização dos corpos e do desprezo pelos seres humanos que nasceram com o sexo feminino. Mudar esse pensamento vai ser difícil enquanto as redes sociais e os noticiários estiverem "bombando" com as publicações de fotos sensuais cheias de curtidas, compartilhamentos e comentários dos mais críticos aos mais obscenos. #Igreja #História