A adolescente Elizabeth Lowe foi encontrada enforcada em um parque da cidade de onde morava, em Manchester, no Reino Unido. Segundo inquérito da polícia, o motivo do suicídio era o medo que ela tinha de contar aos pais que achava que era lésbica.

Segundo amigos mais próximos, Lizzie, como era conhecida, havia contado que estava desconfiada de que poderia ser gay e que estava enfrentando uma grande batalha para conciliar seus sentimentos com sua fé. Seus pais eram pessoas muitas devotas, por isso o medo da adolescente em revelar sua orientação sexual. Após o acontecido, o pai disse que teria recebido a notícia com amor e aceitação e que o medo da filha era infundado.

Publicidade
Publicidade

Um dos colegas da adolescente contou à polícia que ela já havia mencionado suicídio em uma de suas conversas, que ela se automutilava como um 'mecanismo de defesa' e tinha dúvidas sobre como os pais receberiam a notícia de que ela era lésbica.

A #Família e amigos já estavam preocupados com a saúde mental da adolescente, desde o dia 10 de setembro, quando ela enviou uma mensagem, à noite, a um amigo pedindo para ele manter-se forte e que ela sentia muito. Após receber a mensagem, o amigo comunicou a mãe de Elizabeth, que imediatamente avisou a polícia. Infelizmente, o alerta não chegou a tempo, pois os policiais já encontraram a jovem enforcada no parque, no dia seguinte. A autópsia concluiu que não havia nenhuma substância entorpecente no corpo de Elizabeth no momento da sua morte.

Publicidade

A adolescente também não tinha nenhuma doença mental.

Lizzie estudava na escola Parrs Wood High School e era considerada uma das melhores alunas da sala. Tocava também em uma orquestra cristã e era membro do grupo de escoteiros.

O médico-legista Nigel Meadows comentou que Lizzie estava claramente sofrendo e falava sobre o que estava sentindo com outras pessoas. Ela estava enfrentando um momento de dificuldade ao descobrir sua sexualidade e tentar conciliá-la com sua fé. Meadows também fez um apelo a todos os adolescentes, pedindo que eles conversem sobre suas preocupações e questões.