Dois dias e meio após o avião, que transportava os seus entes queridos desaparecer dos radares sobre o Mar de Java, os parentes angustiados assumiram o pior. Mas a confirmação veio de uma forma particularmente brutal: em cobertura ao vivo, a televisão mostrou um corpo flutuando no mar. Muitas pessoas começaram a chorar histericamente. Vários desmaiaram e tiveram que ser levados para fora da sala, no aeroporto de Surabaya, o ponto de partida para o fatídico voo da AirAsia Indonésia QZ8501, que partiu na manhã de domingo. "Vocês têm que ser fortes", disse o prefeito de Surabaya, Tri Rismaharini.

Dwijanto, de 60 anos, aguardando notícias de seu filho, disse à agência de notícias AFP que as imagens extinguiram qualquer esperança para ele.

Publicidade
Publicidade

"Meu coração vai ser totalmente esmagado se é verdade. Eu vou perder um filho", disse ele.

O canal envolvido, TVOne da Indonésia, pediu desculpas. Mas todas as esperanças se extinguiram; após dois dias de buscas infrutíferas para o Airbus A320-200, pouco depois do meio-dia, hora local, aviões de busca encontraram o que parecia ser uma porta da aeronave, um slide de emergência e outros detritos na água.

Estes foram encontrados a seis quilômetros de onde o avião, transportando 162 passageiros e tripulantes, da segunda maior cidade da Indonésia para Singapura, desapareceu logo depois de solicitar uma mudança de altitude para evitar uma tempestade. Autoridades disseram que os destroços pareciam ser vermelho e branco, as cores da AirAsia. Bambang Soelistyo, o chefe da Agência de Busca e Salvamento Nacional da Indonésia, disse em uma conferência de imprensa que também tinha visto o que parecia ser uma "sombra" no fundo do mar, relativamente raso, sendo possivelmente os destroços principais.

Publicidade

A AirAsia divulgou um comunicado dizendo que as autoridades indonésias haviam confirmado formalmente que os detritos vieram do voo QZ8501. Ao cair da noite, a equipe de busca e de recuperação - que incluiu cerca de 30 navios e 15 aviões de nove países - tinha recuperado um número de corpos, estimado em cerca de 40, bem como, mais destroços e alguns pertences pessoais, incluindo uma mala azul, fechada e sem danos.

O presidente da Indonésia, Joko Widodo, que visitou o aeroporto para atender às famílias e falar com Fernandes, disse que todos os esforços seriam dedicados à recuperação dos corpos remanescentes e os destroços, o mais rapidamente possível. Em uma breve declaração à imprensa, ele disse que as águas em torno do local do acidente pareciam ter cerca de 25 metros de profundidade, relativamente fácil para os mergulhadores de alcançar.

Para algumas famílias, esta descoberta trágica é positiva, pois dá-lhes um sentimento de encerramento, pelo menos sabem o que se passou com as suas famílias.