O desaparecimento do avião da AirAsia na Indonésia ainda é mistério depois do começo do segundo dia de resgate. Segundo Bambang Soelistyo, chefe da equipe de buscas, é provável que a aeronave esteja no fundo do mar. Soelistyo disse que a hipótese se baseia nas coordenadas do plano de contato com o vôo depois da perda de comunicação.

O vôo Airbus A320-200 da companhia AirAsia viajava de Surabaia a Cingapura com 162 pessoas a bordo. Os pilotos tinha solicitado uma mudança de curso por causa do mau tempo, mas não enviou qualquer pedido de socorro antes que avião desaparecesse dos radares. "Com base nas coordenadas dadas a nós e à avaliação de que a posição estimada acidente está no mar, a hipótese é o avião esteja no fundo do mar", disse Bambang Soelistyo, o chefe de buscas.

Publicidade
Publicidade

Durante as buscas na última na segunda-feira, o porta-voz da Força Aérea da Indonésia, Hadi Tjahnanto, disse que o foco era em uma área onde um vazamento de óleo havia sido localizado, mas não estava claro se foi causado pelo avião.

Enquanto isso, a agência de notícias Associated Press citou um funcionário indonésio dizendo que alguns objetos haviam sido localizados no mar perto da ilha Nangka por um avião de pesquisa australiano. Porém o vice-presidente da Indonésia, Jusuf Kalla, disse mais tarde que "não há provas suficientes" para vincular ao avião desaparecido. Ele disse que 30 navios e 15 aviões estão participando nas buscas.

Os jornais asiáticos deram destaque ao acidente.A primeira página do Beijing Times diz: "Apenas três dias antes do Ano Novo - onde está o caminho para casa?".

Publicidade

As reações são semelhantes na Indonésia, Singapura e Malásia. Muitos a bordo estavam viajando para ver suas famílias para a temporada de férias de fim de ano. Relatos da mídia dizem que as famílias estão unidas em orações, esperando por por um milagre. Muitos jornais publicaram histórias pessoais. Uma delas é a da filha de um dos pilotos que publicou nas redes sociais: "Papai volta para casa."

Alguns também estão chamando 2014 um "ano de tragédias" para a indústria da aviação, ligando-o com o voo MH370 da Malaysia Airlines que desapareceu em março e ainda não foi encontrado. Além da cobertura emocional, comentaristas foram fazendo perguntas sobre a segurança da aviação na região. O sudeste asiático tem um setor da aviação em rápido desenvolvimento, com muitas operadoras que lutam por espaço, dizem os observadores. “A competição è bem vinda, mas as normas de segurança devem ser reforçadas.” disse um dos especialistas em aviação.