Mais um violento evento envolvendo o Estado Islâmico aconteceu na manhã desse sábado. Combates do EI mataram pelo menos 19 policiais, durante #Ataque à província de Anbar, oeste do Iraque. Além dessas mortes, prenderam vários outros em seus quartéis generais. Segundo oficiais, o ataque ocorreu em uma região desértica que tem sua maior parte controlada pelos combatentes.

Tudo começou na sexta, quando o Estado Islâmico iniciou o ataque à cidade al-Wafa. Hoje, a cidade, que está localizada a quarenta e cinco quilômetros de Ramadi (capital de Anbar), caiu e foi tomada pelos militantes do EI. Uma barreira de areia havia sido colocada em torno de al-Wafa, para tentar impedir a entrada dos militantes. Juntamente com alguns poucos membros sunitas, as forças policiais tentaram impedir a entrada dos mesmos, mas foram surpreendidos e atacados por células de dentro, que iniciaram tiroteio contra eles, contou um oficial da polícia e o prefeito.

Segundo o prefeito de al-Wafa, Hussain Kassar, as forças policiais estão enfrentando combatentes do EI desde sexta, mas tiveram que recuar devido à falta de munição, o que fez com que perdessem a cidade. E diz que se sente frustrado, pois não estão recebendo nenhuma ajuda, foram deixados sozinhos.

Esse ataque surpresa obrigou os policiais e o sunitas a se alojarem no quartel general de uma brigada localizada próxima à fronteira da cidade. O prefeito ainda informou que se se não receberem ajuda de nenhuma força do governo, serão exterminados, pois estão cercados dentro da brigada 18 da polícia.

Com mais essa dominação, o Estado Islâmico agora controla 3 grandes cidades a oeste da capital: Kubaisa, Hit e al-Wafa.

Outros eventos envolvendo o Estado Islâmico durante a semana

Tentativa de venda de corpo de refém decapitado por 1 milhão de dólares

Após fracassar na negociação de resgate de reféns americanos, o EI tenta agora vender o corpo de um dos reféns que foram decapitados. É o corpo do jornalista americano James Foley, morto em agosto.

Decapitação de sírio que ajudou a matar 196 pessoas

Os combatentes do EI decapitaram na sexta (12) um sírio que havia, supostamente, ajudado as forças do regime de Bashar al Assad a matar cento e noventa e seis pessoas. #Crise