O grupo radical Estado Islâmico (EI) abateu na manhã de hoje (24), um avião militar da coalizão antijihadista, pilotado por um piloto jordaniano, no norte da Síria. A informação sobre a nacionalidade do piloto, que foi capturado pelos militantes, foi dada pelos próprios jihadistas.

O avião foi derrubado por um míssil terra-ar, próximo à cidade de Raqa, considerada a capital do território sob controle do EI, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH). Essa informação foi confirmada pelo governo jordaniano através de um comunicado oficial divulgado pela agência de notícias estatal Petra.

A confirmação do governo jordaniano foi feita em um comunicado divulgado pela agência de notícias do estado, Petra.

Publicidade
Publicidade

Desde setembro, quando os ataques aéreos começaram, esta é a primeira vez que uma aeronave da coalizão é derrubada em território islâmico.

Fotos publicadas pelo Estado Islâmico e pelo centro de mídia pró-Estado Islâmico, Raqqa, mostram o piloto capturado. Nas fotos, ele aparece com a boca sangrando e usando uma camiseta branca. O piloto é o tenente de 26 anos, Moaz Youssef al-Kasasbeh, natural de Karak (Jordânia). Ele está na Força Aérea da Jordânia desde 2008.

Coalizão antijihadista

Liderada pelos Estados Unidos, a coalizão executa ataques aéreos em alvos do Estado Islâmico na Síria. Quatro nações árabes integram o grupo: Jordânia, Emirados Árabes Unidos, Barein e Arábia Saudita. A intervenção na Síria teve início no dia 23 de setembro.

Os países Bélgica, Austrália, França, Dinamarca, Canadá, Holanda e Reino Unido participam da ofensiva liderada pelos Estados Unidos, contra o EI no Iraque.

Publicidade

A região onde o avião foi derrubado é um dos alvos de ataques aéreos do exército sírio e da coalização.

Pelo menos mil, cento e setenta e uma pessoas já foram mortas desde setembro (início dos ataques aéreos da coalizão), na Síria, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos. Dessas, mil, cento e dezenove eram jihadistas do Estado Islâmico e da Frente Nusra.

Nessa terça (23), o FBI alertou sobre uma ameaça feita pelo EI de explodir a ponte do rio Mississipi. #Ataque