Na última quinta feira (18) a Polícia Federal confirmou a veracidade da foto tirada da folha de redação do ENEM 2014 que circulou pelo aplicativo Whatsapp no dia da prova.

A foto que um estudante piauiense recebeu antes da realização da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014 foi considerada verdadeira pelo delegado Alexandre Uchôa do Combate ao Crime Organizado da Superintendência da Polícia Federal do Piauí.

Por meio da denúncia de um estudante de direito chamado Jomásio Barros e residente no estado do Piauí, a Polícia Federal foi informada sobre a veiculação por meio do aplicativo Whatsapp de uma imagem contendo informações sobre a redação proposta pelo Enem 2014, a qual pedia um texto descritivo sobre a "Publicidade infantil no Brasil".

Publicidade
Publicidade

O estudante, surpreso e indignado com a situação, chegou a postar em redes sociais questionamentos a respeito da segurança e confiabilidade das provas do Enem, além de ter gravado um vídeo expondo o acontecido. Após a denúncia o celular do estudante foi apreendido pela Polícia Federal para maiores investigações e de acordo com o advogado do rapaz ele passou a sofrer ameaças depois de ter formalizado a denúncia.

Essa imagem não circulou somente pelo Piauí, Estudantes do Ceará também asseguraram ter recebido a imagem com informações da redação do Enem. A polícia segue com as investigações, porém ainda não pode afirmar de onde veio, nem como a imagem foi enviada.

O MEC (Ministério da #Educação) e o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) se pronunciaram a respeito, dizendo que aguardam o inquérito da Polícia Federal para tomar as medidas cabíveis com a devida punição para quem desobedecer aos requisitos que foram publicados no edital, e deixa bem claro de que o Enem 2014 não será cancelado.

Publicidade

O Inep não tem informações oficiais sobre os inquéritos, que de acordo com o delegado Alexandre Uchôa segue em sigilo e só liberará um relatório oficial para o instituto quando as investigações terminarem.