O brasileiro Marcos Archer Cardoso Moreira, foi executado hoje, na manhã de domingo na Indonésia, às 16h, de acordo com o horário de Brasília. A informação foi confirmada pela embaixada brasileira na Indonésia.  Marcos Archer Cardoso Moreira, estava preso no país asiático desde de 2003, após ser descoberto pelas autoridades no aeroporto de Jacarta, portando cerca de 13 quilos de cocaína, que estava escondida em uma asa delta. Ele ainda conseguiu fugir, mais foi capturado pela policia.

Em 2004, Marcos foi condenado a morte pela justiça da Indonésia. No ano seguinte, seus advogados pediram clemencia a justiça do país, mas não obtiveram o pedido aceito.

Publicidade
Publicidade

Amigos do brasileiro se mobilizaram e enviaram cartas ao Itamaraty, para que a execução fosse impedida. Em 2012 , a presidente Dilma Rousseff, enviou uma carta ao país, pedindo clemencia ao brasileiro. O pedido mais uma vez não foi aceito e foi enviado um documento ao papa Francisco, pedindo a sua intercessão a favor do brasileiro. A presidente Dilma falou ao telefone com o presidente da Indonésia, Joko Widodo, mas o presidente falou que a sentença tinha de ser cumprida, entendia a situação, mas não podia interferir, pois todas as etapas do processo já haviam sido terminadas.

O procurador geral da república, Rodrigo Janot, enviou uma carta ao ministério público da Indonésia, solicitando um pedido de adiamento de execução por oito semanas, mas a justiça do país se mostrou sempre irredutível.

Publicidade

A morte de Marcos Archer ainda não foi confirmada pela Indonésia, apenas pela embaixada do Brasil no país. A presidente Dilma Rousseff, enviou uma nota se dizendo consternada e indignada com a morte de Marcos Archer. Uma carta de protesto do planalto, foi enviada a embaixada da Indonésia no Brasil. A Anistia internacional também se mostrou contraria a sentença de morte ao brasileiro, pois é contra a pena de morte em qualquer hipótese. Para a anistia, chama a atenção a proporção extrema da sentença para um crime não violento.

Marcos Archer tinha 53 anos, morava no Rio de Janeiro e trabalhava como instrutor de voo livre. A última visita que recebeu foi de sua tia, que era a parente mais próxima. Alguns amigos relatam que Marcos ingressou no trafico por causa de dividas e que sempre o aconselhavam a parar de transportar drogas. Em um vídeo, Marcos dizia estar arrependido e sonhava em voltar para o Brasil e mostrar aos jovens o perigo que as drogas representam para a vida.  Outro brasileiro, Rodrigo Gularte, também esta no corredor da morte na Indonésia, por causa do trafico de drogas.