O governo da Indonésia anunciou hoje sanções contra aqueles que permitiram que o avião da AirAsia, voo QZ-8501, decolasse sem as permissões adequadas, o que provocou sua queda em 28 de dezembro, deixando 162 pessoas mortas. E suspendeu a empresa que opera o aeroporto e os funcionários da torre de controle.

Djoko Murjatmodjo, diretor interino da aviação para o Ministério dos Transportes, também anunciou que as licenças e horários de todas as companhias aéreas que voam no país serão revistos para assegurar que as leis sejam respeitadas. "Quem sabe se outras companhias aéreas estão fazendo o mesmo?'' disse ele.

As novas medidas foram anunciadas em meio às dificuldade de resgate dos corpos e partes do avião.

Publicidade
Publicidade

As equipes de buscas continuam a enfrentar o mau tempo no mar de Java, o que tem dificultado os esforços para recuperação dos mesmos.

O avião viajava de Surabaya, a segunda maior cidade da Indonésia, para Cingapura. As autoridades explicaram que as permissões para a rota popular eram apenas às segundas, terças, quintas e sábados e a Air Asia discretamente mudou três desses três dias. Funcionários em Cingapura, no entanto, disseram que o avião foi autorizado a pousar em seu território, no domingo.

Enquanto a companhia está sob investigação, a Indonésia anunciou no sábado que havia proibido todas as rotas entre Surabaya e Cingapura.

O executivo-chefe da AirAsia Indonésia, Sunu Widyatmoko, disse hoje, através de uma mensagem de texto, que a empresa vai cooperar com o governo durante a avaliação, mas não quis comentar sobre as alegações de autorizações pendentes do processo.

Publicidade

Murjatmodjo disse que indivíduos diretamente responsáveis pela autorização do voo sem as devidas licenças, seriam suspensos, enquanto as investigações fossem conduzidas.

O ministério também emitiu uma nota em 31 de dezembro recomendando que todas as companhias aéreas fornecessem aos seus pilotos relatórios atualizados sobre as condições meteorológicas antes da decolagem. Até o momento, dependia do capitão e co-piloto, avaliarem as condições de voo antes de viajar. Em outros países, o departamento de operações de voo da empresa faz isso por eles.

Murjatmodjo também planeja se reunir com a Comissão para a Erradicação da Corrupção para discutir a possibilidade de iniciar uma investigação sobre as operações das companhias aéreas.

AirAsia, que iniciou suas operações em 2001, e logo se tornou uma das empresas mais populares de baixo custo na região, não sofreu qualquer outro acidente e é considerada uma referência em termos de segurança e profissionalismo.

Ainda não está claro o que causou a queda do voo QZ-8501, 42 minutos depois da sua decolagem.