Nigéria - Sequestro ocorreu na vila remota de Malari, no nordeste do país, nesta quarta-feira à noite.

Felizmente ninguém foi morto, nenhum tiro foi disparado por arma de fogo. Uma testemunha ocular, Mohammed Zarámí, disse à Reuters que os homens armados que invadiram a aldeia ameaçaram os espectadores, mas sem prejudicá-los.

Quarenta jovens, com idade entre 15 e 23 anos, foram sequestrados nesta vila remota no nordeste da Nigéria pelo grupo terrorista Boko Haram, seita radical islâmico que controla o território nordeste da Nigéria.

De acordo com a reconstrução das testemunhas, homens armados chegaram à aldeia de Malari e sequestraram pelo menos 40 jovens.

Publicidade
Publicidade

"As pessoas começaram a fugir das próprias casas em terror", disse uma das pessoas que conseguiram fugir para a vizinha cidade de Maiduguri.

Com esta ação, Boko Haram queria sequestrar todos os jovens da aldeia: uma prática, a dos sequestros em massa, que não é novidade para este grupo terrorista. No ano passado, os militantes islamitas, sequestraram centenas de pessoas, especialmente os jovens que muitas vezes são explorados como soldados ou em outros casos usados como escravos sexuais.

O destaque do grupo de ação ainda permanece o rapto de duas centenas de alunos, tiradas diretamente de sua escola em abril e cujo destino é ainda desconhecido.

Mas quem é Boko Haram? Boko Haram (a frase em língua Hausa que literalmente significa "a educação ocidental é pecado") é uma organização terrorista jihadista difundida no norte da Nigéria.

Publicidade

É também conhecido como o Grupo do Partido Popular da Sunna para propaganda religiosa e Jihad.

É organizado como um movimento inspirado ao fundamentalismo islâmico subterrâneo que visa abolir o sistema secular e a imposição da Sharia no país. Antes que o grupo ficasse conhecido internacionalmente após a violência religiosa na Nigéria em 2009, Boko Haram tinha uma estrutura organizacional especifica ou uma cadeia de comando clara, mas agora sabemos que ele é dividido em três facções. Além disso, ainda é motivo de discussão se Boko Haram está ligado ao #Terrorismo estrangeiro e em que medida seus combatentes estão frequentemente em conflito com o governo central da Nigéria. #Ataque