O primeiro Papa da América do Sul (mais especificamente da Argentina), a preencher o cargo máximo do Vaticano. Tem feito a diferença positiva e inovadora no que diz respeito às atividades. No bom sentido, tem dado um novo olhar e valores ao Catolicismo, o que tem chamado a atenção de todos.

No Brasil, isso pode ser percebido tanto pela TV quanto pessoalmente. A sua visita para a JMJ (Jornada Mundial da Juventude) teve boa repercussão, inclusive na influenciando as atitudes das pessoas, por exemplo. Tinha uma aura carismática que se espalhava pelos arredores do Rio de Janeiro. Ainda dando continuidade aos cuidados com o Brasil, ele gravou uma bela mensagem de presente ao Rio de Janeiro que irá completar 450 anos neste ano de 2015 no último dia 31.

Publicidade
Publicidade

Já no primeiro dia de janeiro, ele fez um discurso pedindo um cuidado especial nas relações de trabalho, mais especificamente, de se pensar e rever essa que, na maioria das vezes, é uma "escravidão moderna" e fez um pedido aos chefes por boas condições de trabalho e salário mais digno; criticando, dessa forma, a corrupção, a pobreza, o subdesenvolvimento, a falta de acesso à educação, aos imigrantes que abandonam tudo o que construíram e, muitas das vezes, sofrem com a exploração sexual, dentre outros. Além disso, no primeiro tweet do ano, ele fez um apelo pedindo a paz para crianças e pessoas inocentes.

A ação seguinte do Papa Francisco foi nomear os novos cardeais para estarem trabalhando ao seu lado. No último dia 31, ele denunciou corruptos que desviaram dinheiro, dizendo em seu discurso que devem fazer uma renovação espiritual.

Publicidade

Nos primeiros dias de janeiro, em concordância com o 'novo' Vaticano, as ações e a sua diferença na forma de conduzir as atividades refletem nas suas escolhas. Por exemplo, os novos cardeais, inclusão de países que, pela primeira vez, vão ser apontados como Miamar, Tonga e Cabo Verde, dando assim uma característica mais universal da #Igreja. Os outros são de Portugal, Etiópia, Nova Zelândia, Vietnã, México, Tailândia, Uruguai, Espanha e Panamá. Os 15 novos cardeais serão empossados no dia 14 de fevereiro em uma cerimônia conhecida como consistório no Vaticano. #Religião