Na última quarta-feira, Paris sofreu o pior ataque terrorista dos últimos anos. O alvo do terrorismo foi o Jornal Charlie Hebdo, que publica caricaturas de líderes muçulmanos e do profeta Maomé. Os atiradores assassinaram brutalmente dez jornalistas e dois policiais, e depois escaparam em um carro. 

As pessoas do mundo todo estão horrorizadas com o ataque mortífero, a cidade de Paris viveu um dia de terror, disse uma das fontes. Entres os mortos está o gerente de edição, conhecido com Charb. As pessoas que estava próxima ao local, disseram que os homens chegaram falando essa frase: “Deus é maior”, e atiraram nas pessoas sem piedades que estavam dentro da sede do jornal.

Publicidade
Publicidade

Testemunhas disseram que dois dos terroristas entraram dentro da sede atirando, estavam fortemente armados com metralhadoras. Mataram as pessoas e fugiram em um carro, em certo ponto abandonaram o carro e roubaram outro, aterrorizando os motoristas do local. A França viveu momentos de horror na manhã de quarta-feira.

O presidente Hollande, fez um discurso em frente à sede do Jornal e disse que à França foi alvo de terrorismo por ser um país livre. Ele pediu a união dos franceses contra o ataque. Dois dos homens responsáveis pelo ataque foram localizados. As autoridades estão procurando os foragidos e querem punir severamente os criminosos pelos crimes e o ataque.

A segurança da capital francesa foi toda reforçada aos quatro cantos, com homens fortemente armados do Exército. A cidade francesa já foi alvo de vários ataques, mas não tão horrível como este.

Publicidade

Foi um ato bárbaro que mobilizou reações políticas no mundo inteiro. Presidentes do mundo inteiro deram depoimentos sobre o terrível ataque.

Em homenagens as vítimas do ataque, cartunistas do mundo inteiro desenharam várias caricaturas e postaram nas redes sociais. Há mais de 20 anos que o Jornal Charlie Hebdo, causa polêmicas pelas suas publicações de desenhos e charges muçulmanos. As autoridades estão preocupadas com novos ataques e reforçou a segurança do local. Jornalistas e cartunistas do mundo inteiro estão recebendo mensagens de apoio para não se intimidarem com o ocorrido. A liberdade da expressão é direito de todos.