O ataque ao jornal satírico francês Charlie Hebdo deixa 12 mortos. Foi uma tragédia ocorrida no dia 07/01/15 em Paris. Informações fornecidas pela policia francesa indicam que o ataque foi realizado por 2 irmãos de origem argelina Said Kouachi, 34 e Cherif Kouachi, 32, envolvido no ataque havia um jovem de 18 anos Hamyd Mourad, de nacionalidade não revelada.

Ação policial

No dia 09/01/15 a polícia francesa invadiu um cativeiro na cidade Dammartin-em-Goële, que fica aproximadamente a 40 km de Paris, onde os irmãos suspeitos pelo atentado ao Charlie Hebdo mantinham algumas pessoas como reféns. A policia já havia iniciado uma intensa investigação, após o atentado e chegou a localização dos terroristas a partir de um documento dos envolvidos esquecidos no carro.

Publicidade
Publicidade

Hoje, é revelado que os irmãos eram simpatizantes e com algumas ligações com a Al Qaeda, e que os dois irmão já estariam em uma lista de pessoas proibidas de viajarem em voos para os Estados Unidos.

Intolerância

O jornal francês já havia sofrido um atentado em 2011 por publicações de caricaturas de líderes muçulmanos e até do profeta Maomé. Fatos estes que não justificam um ato terrorista. Vivemos em um mundo onde as diferenças raciais religiosas estão abertas e em uma era globalizada. Devemos, mais do que nunca, aprender a conviver. Charges, caricaturas, sátiras sobre política religião sexo, são tão antigas quanto a humanidade e um ato violento como esse revela a intolerância onde se defende uma religião, um líder único, máximo, uma verdade absoluta. Sabemos muito bem que não há um deus, uma religião, uma raça e muito menos verdades absolutas.

Publicidade

Jornalistas

Atacar jornalistas e a imprensa é atacar a própria história da humanidade. Esta atitude sempre provoca um efeito contrário, pois até é possível calar a voz, parar a escrita, mas jamais irão deter os pensamentos e as ideias dos jornalistas, quando irmãos de letras e escritas são levados de forma tão hedionda, mais e mais nascerão ideias, revoltas, histórias, contos, desenhos, sátiras acidas doces ou amargas, como as que ocorrem hoje. Jamais irão deter pensamentos e ideias, o pensamento é livre, como dizia Chico Science, ¨Há mais fronteiras nos jardins da razão...¨. #Terrorismo