Um vídeo liberado nesta terça-feira (20) mostra o grupo Estado Islâmico (EI) ameaçando matar dois reféns japoneses, a menos que o resgate de 200 milhões de dólares seja pago nas próximas 72 horas.

O vídeo mostra dois reféns com o já famoso uniforme laranja e os militantes os identificaram como Kenji Goto Jogo e Haruna Yukawa. A seção de antiterrorismo do Ministério das Relações Exteriores do Japão assistiu ao vídeo e assim como analistas, segundo um funcionário do Ministério informou em anonimato.

Em Tóquio, o secretário do Chefe de Gabinete Yoshihide Suga não confirmou se o Japão pagará o resgate. "Se for real, o ato de ameaçar em troca da vida de uma pessoa é imperdoável e sentimos extrema indignação", disse Suga.

Publicidade
Publicidade

"Nós faremos todo o esforço para que eles sejam liberados o mais rápido possível". No entanto, ele disse que o Japão não cederia ao #Terrorismo. "A postura do nosso país - contribuir para a luta contra o terrorismo sem desistir - permanece inalterada".

O vídeo foi identificado como sendo feito pelo grupo de mídia al-Furqan do EI e postado em sites militantes associados ao grupo extremista. O homem que fez o discurso soou como um militante britânico envolvido em outras decapitações pelo EI, o qual agora detém um terço do Iraque e da Síria sob o seu autodeclarado califado. O militante disse ainda que os japoneses foram escolhidos por apoiar as forças do ocidente contra o grupo. "Vocês doaram 100 milhões de dólares para matar nossas mulheres e crianças, para destruir a casa dos muçulmanos", disse o suposto britânico.

Publicidade

Shinzo Abe, primeiro-ministro japonês, está se deslocando entre Israel e Palestina, onde ele conversa com líderes para impulsionar laços comerciais e reiniciar as negociações de paz. Ele é aguardado para realizar uma conferência de imprensa nesta terça após visitar Ramallah.

Abe, reeleito no mês passado, começou sua viagem no Cairo na semana passada, onde se comprometeu a doar 2,5 bilhões de dólares em ajuda humanitária e desenvolvimento para países afetados pelo #Estado Islâmico.

Em agosto, um cidadão japonês que se acredita ser Yukawa, operador de uma companhia militar privada e com idade de aproximadamente 40 anos, foi sequestrado na Síria. As razões de sua ida à Síria são desconhecidas. Goto é um respeitado jornalista freelancer que foi relatar sobre a guerra civil na Síria e sabia sobre Yukawa. "Estou na síria cobrindo a guerra. Espero que eu possa transmitir e compartilhar a atmosfera onde estou", escreveu em um e-mail enviado a uma associação de jornalistas em outubro.

Com este vídeo, é a primeira vez que o grupo Estado Islâmico pede por resgate em dinheiro, especificadamente. Embora o militante relacione a situação ao investimento do Japão em combater o grupo terrorista, ela vem em meio a perdas recentes pelos extremistas, alvejados em ataques aéreos pela coalizão liderada pelos Estados Unidos da América.