Em meio ao terrorismo brutal, decapitações, medo, sangue e muitas mortes, há espaço no grupo jihadista #Estado Islâmico (EI) para gestos de carinho. Segundo a rede britânica CNN, os líderes extremistas estariam usando o popular e saboroso doce Nutella e filhotes de animais como gatos para amolecer o coração de mulheres ocidentais e assim angariá-las ao grupo. 

Esses novos artíficios estão sendo divulgados em vídeos direcionados a essas mulheres. O objetivo central do grupo com essa nova ação é fazer parecer que a vida no campo de batalha é tão cômoda e confortável quanto no interior do lar de suas casas.

Nimmi Gowrinathan, professora universitária dos Estados Unidos, do City College em Nova York, disse, em entrevista à CNN, que não acredita que a prática possa efetivamente recrutar alguma mulher para o grupo.

Publicidade
Publicidade

"Se elas ingressam é pela ideia da construção de um califado, uma ideologia política bem mais profunda que o que há nas redes sociais. São atraídas pois se sentem mais seguras, sem ver suas identidades ameaçadas", destacou.

A denúncia foi feita a partir de fotos que circular na internet, em sites e perfis ligados ao EI, que mostram soldados e líderes da organização sorridentes, com potes de doces na mão no lugar das habituais armas. Nas ações, também são usados filhotes indefesos de gatos e os populares emoticons - figuras que ilustram rostinhos sorridentes nas redes sociais. 

Na última semana, um perfil vinculado ao EI no twitter divulgou um novo vídeo bárbaro, onde consta a decapitação de 21 cristãos egípcios capturados pelo grupo e levados ao litoral sul de Roma, na Itália. No início de fevereiro, outro vídeo brutal chocou o mundo, quando um piloto da jordânia foi queimado vivo por combatentes da organização jihadista.

Publicidade

Já com o controle do norte da Síria e do Iraque, o Estado Islâmico é um grupo radical sunita que tenta consolidar um califado. Métodos extremos como decapitações, sequestros, perseguições, ameaças e mutilações são práticas comuns em suas áreas de domínio.