Para aqueles que dizem que só no América Latina e nos países subdesenvolvidos programas sociais são aplicados, é necessária uma mudança de visão. Nos Estados Unidos, foi criado em 2007 o programa Opportunity NYC. A ação americana, que possui nesse ano de 2015 um orçamento de 120 milhões de dólares, teve como inspiração o bolsa família brasileiro, programas semelhantes do México e da Jamaica.

O programa é divido da seguinte maneira: O Spark, que tem como objetivo ajudar 8 mil crianças de famílias pobres que conseguem boas notas na escola. Work, que doa renda para 4.100 adultos desempregados, e Family Rewards, que ajuda 2.500 famílias que participam de atividades comunitárias (como inscrever-se em bibliotecas públicas, ajudar em creches e dar aulas em escolas carentes).

Publicidade
Publicidade

Um domicílio pode receber entre US$ 4 mil e US$ 5 mil por ano do programa, dependendo do rendimento das crianças na escola.

O pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) Fabio Vaz compara os planos aplicados no Brasil e nos Estados Unidos. "A lógica nos casos do plano mexicano Oportunidades e do brasileiro Bolsa Família é encorajar as famílias a mandarem as crianças para a escola, como um meio de quebrar a pobreza. Seu objetivo é cobrir os gastos que as crianças têm indo para a escola. Em contrapartida, o Opportunity NYC se baseia na melhora da performance acadêmica como uma condição para transferir renda", explica.

Questionamento

Para a pesquisadora do Centro Internacional de Pobreza, Michelle Morais, existe um problema nesse modelo. As escolas passariam a valorizar mais o desempenho individual dos alunos do que a qualidade geral do ensino.

Publicidade

"O Spark concebe o desempenho educacional como se este fosse exclusivamente ligado ao esforço dos pais e dos estudantes e à disponibilidade de incentivos financeiros. Ele não considera os limites que os estudantes podem atingir em razão, por exemplo, da falta de qualificação dos professores, violência nas escolas e escassez de recursos pedagógicos", analisa.