Jordânia confirma que como sentença de morte o #Estado Islâmico queimou o piloto jordaniano ainda vivo, deixando o mundo boquiaberto com tamanha brutalidade.

Muath al-Kasaesbeh foi sequestrado em dezembro, no território sírio. De acordo com a TV estatal jordaniana, o piloto jordaniano morreu queimado em 3 de janeiro.

O piloto jordaniano teve o azar de cair com o avião enquanto estava em operação de guerra no país, em dezembro, pela coalização internacional liderada por norte-americanos.

Os EUA estão à frente da coalização internacional que ataca membros do Estado Islâmico no Iraque e na Síria. Este é o principal argumento para a morte do piloto jordaniano, brutal como a desgraça que os EUA impõem ao islão.

Publicidade
Publicidade

Morte do piloto jordaniano e V de vingança

O Exército Mamdouh al Ameri já publicou um comunicado anunciando que a vingança será mais amarga do que a morte do piloto jordaniano. Sem contar que a jihadista iraquiana refém, uma moeda de troca usada em vão para a soltura do piloto jordaniano, já foi enforcada hoje pela manhã.

A execução da iraquiana estava marcada para o dia 5 de fevereiro, como havia informado o Exército Mamdouh al Ameri, mas foi antecipada devido ao vídeo divulgado pelo EI.

Sajida al-Rishawi tinha 44 anos e foi condenada à morte, em 2006, por causa das ações terroristas ocorridas no final de 2005.

O rei Abdullah II se demonstrou indignado depois de assistir ao vídeo da morte do piloto jordaniano e comunicou que, em sua opinião, tal atitude consiste no ato covarde de pessoas, que na verdade, não fazem parte da verdadeira essência islã.

Publicidade

Barack Obama

O homem mais poderoso do mundo, o presidente Barack Obama, também condenou de modo público a morte do piloto jordaniano. Porém, os agentes da Casa Branca ainda trabalham para descobrir se o vídeo é autêntico.

Obama diz que os EUA se solidarizam com os familiares do piloto jordaniano queimado vivo. Representantes do governo norte-americano indicam que na hipótese do vídeo ser verdadeiro, a coalização internacional vai aumentar sua força para exterminar os terroristas do Estado Islâmico. #História