O serviço meteorológico dos EUA alertou sobre a possibilidade de períodos de temperaturas abaixo de zero e intensas nevascas. Este alerta incomodou a muitos, principalmente aqueles que utilizam o sistema aéreo norte-americano.

Os altos fluxos de neve atrapalham a visibilidade aérea, além de dificultar o transporte terrestre devido à falta de atrito. Embora essas condições sejam comuns para os países do norte do continente americano, observa-se que estão mais intensas se comparadas com períodos equivalentes de anos anteriores.

Segundo o jornal diário nacional dos Estados Unidos, USA Today, Boston acumulou - em fevereiro -  uma quantidade de neve dez vezes maior do que a média para o mês fevereiro dos anos anteriores.

Publicidade
Publicidade

Apenas neste final de semana, dias 14 e 15 de fevereiro, foram acumulados 40 cm de neve em Boston, somando 1,5 m apenas na primeira quinzena do mês. Portanto, esses índices assustam, visto que atrapalham a rotina das cidades e resultam em prejuízos para muitas atividades.

    Caos na aviação norte-americana

      Na segunda-feira (16), 1.500 vôos foram cancelados nos EUA. Como grande parte deste total ocorreu em regiões atingidas pelo alto índice de neve, acredita-se que a maioria dos cancelamentos esteja associada com a nevasca.

      Portanto, os usuários do sistema aeroviário devem ficar atentos às condições climáticas e se programarem para possíveis contratempos.

        Temperaturas abaixo da normalidade

          Duas cidades do nordeste dos EUA registraram recordes de temperaturas: Erie com -28°C e Cleveland com -22°C.

          Publicidade

          No entanto, o centro-sul e o leste do país também foram afetados pela intensa queda de temperatura.

          O inverno norte-americano mostra-se rigoroso. De acordo com o Nacional Wheater Service, os recordes de frio serão comuns neste período do ano. Indicou, ainda, que o leste do país e 50 milhões de pessoas serão afetadas por um frio fora da normalidade.

            Nevasca histórica

              Há menos de um mês, a cidade de Nova York e localidades próximas, como Boston, presenciaram uma nevasca histórica. Essa nevasca foi tão intensa que paralisou as cidades, suspendendo aulas e impedindo todas as formas de transportes. Apenas os veículos de emergências estavam liberados para circularem em meio às péssimas condições caso houvesse necessidade.

              As pessoas que não puderam sair de suas casas durante o temporal devido ao forte vento (velocidade média de 40 km/h e rajadas de 100 km/h) e ao acúmulo de neve (média de 50 cm) ainda temem por novos recordes de nevascas. #Natureza