Os governantes gregos conseguiram terminar antes do prazo a lista para as reformas econômicas do país. O novo plano deve ser apresentado ainda hoje para a Grécia continuar recebendo auxílio dos países europeus. Porém, o acordo que deve ser fechado está decepcionando os eleitores que votaram no novo primeiro-ministro, Alexis Tsipras, que prometia uma mudança radical em terras gregas.

O plano de reformas deve estar de acordo com os pedidos dos países que formam a zona do euro. Segundo o porta-voz do governo, Gabriel Sakellaridis,  a lista conta com reformas justas, que englobam pontos como a evasão fiscal, a corrupção e a administração pública. Se as reformas forem aprovadas pelos outros países, a Grécia não deve deixar a zona do euro e deve receber alguns bilhões de ajuda.

Porém, uma das condições exigidas pelo Eurogrupo é que está mexendo com os bastidores do governo grego. Para poder receber a ajuda, a Grécia teve que aceitar a prorrogação de mais 4 anos do plano de ajuda que estava sendo imposto, que era controlado pela Troika. O grupo é formado pela Comissão Europeia, o Banco Central Europeu e o FMI - agora passaram a se chamar de "As Três Instituições". Antes das eleições, Tsipras tinha prometido eliminar esse acordo.

Aos olhos de Tsipras, as reformas estão sendo feitas pelos próprios gregos e não pelos credores que ajudam a Grécia desde o ano de 2010. Mas, para o veterano político do Syriza (mesmo partido de Tsipras), Manolis Glezos, o novo primeiro-ministro não tem capacidade de cumprir as promessas feitas antes das eleições, e que modificar o discurso não vai acalmar a população. Ainda de acordo com Glezos, não adianta nada renomear a Troika como "instituições" ou passar a chamar a ajuda de "acordo". Para o político, não é assim que a situação vai mudar.

Após o plano ser  apresentado, a Comissão Europeia vai analisar com cuidado para ter certeza de que os quatro meses de prorrogação não afetarão o orçamento do governo grego. A decisão e o novo programa de ajuda à Grécia devem ser apresentados até o final deste mês.