Law Wang Tung seria apenas mais uma patroa em Hong Kong caso não tivesse seu nome vinculado à mídia internacional, devido aos maus tratos à sua empregada, Erwiana Sulistyaningsih.

Porém, ela não contava com o fato de que Erwiana, natural da Indonésia, colocaria a boca no trombone e ganharia o apoio da mídia internacional ao voltar para seu país de origem e processaria a ex-patroa por maus tratos.

Em dezembro de 2014, ela testemunhou que havia sido vítima de maus tratos por vários meses enquanto esteve em Hong Kong.

Segundo ela, sua patroa costumava agredí-la com rodos, cabides e uma vez, continuou dando-lhe socos mesmo após ela ter perdido os sentidos.

Publicidade
Publicidade

Para deixar ainda mais a mídia de cabelo em pé, Erwiana contou que certa vez, sua patroa colocou o tubo do aspirador em sua boca, causando-lhe sérios ferimentos, além de tê-la deixado vários dias sem comida. Quando chegou à Indonésia, ela estava pesando apenas 25 quilos, metade do que costumava pesar.

A patroa também ameaçou matar os parentes de Erwiana, caso ela resolvesse levar o caso até a justiça.

O caso também chocou Hong Kong, onde muitas famílias dependem de empregadas domésticas e ajudantes. Estima-se que hoje existam mais de 300.000 empregadas domésticas no país oriundas de vários países asiáticos. Além do mais, o país possui várias leis de apoio às ajudantes domésticas e é considerado um dos mais seguros para se trabalhar nesta área.

A coisa ficou feia para a patroa, que foi considerada culpada de 18 das 20 acusações contra ela.

Publicidade

O veredicto final deve sair neste mês e provavelmente ela deve ser sentenciada à 7 anos de prisão.

Em 2013, um casal também de Hong Kong foi parar na prisão após terem deixado a empregada amarrada a uma cadeira enquanto saíram para uma viagem.

Erwiana foi extramente corajosa, mas o fato de estar morando em Hong Kong e poder voltar ao seu país foram cruciais para que sua história tivesse um final feliz. Infelizmente, em outros países, sobretudo nos do Oriente Médio, moças vindas da Indonésia, Filipinas, Vietnã e outros, passam pelas mesmas ou piores humilhações como abuso sexual e verbal. Entretanto, são obrigadas a calar-se diante da poderosa lei local.

A coragem de Erwiana foi elogiada pela mídia ocidental, e por isso, ela foi eleita pela revista Times como uma das 100 personalidades mais influentes em 2014. Num gesto de agradecimento a Deus, Erwiana ajoelhou-se do lado de fora do tribunal e fez uma oração. #Violência