Uma jovem chilena de 14 anos, que sofre de fibrose cística, fez um pedido em sua página pessoal do Facebook. Por meio de um vídeo gravado por ela, Valentina Maureira pede à presidente do Chile, Michelle Bachelet, que autorize sua eutanásia. O irmão da garota já morreu por causa da mesma doença.

De acordo com o pai de Moureira, Freddy, a menina já passou por cinco cirurgias dolorosas e não aguenta mais. "Eu estou pedindo urgentemente para a presidente porque estou cansada de viver com essa doença e ela pode autorizar a injeção para me fazer dormir para sempre", disse a garota no vídeo.

A eutanásia é considerada ilegal no Chile, país que sofre grande influência da Igreja Católica.

Publicidade
Publicidade

Entretanto, a presidente Bachelet, que é centro-esquerdista e está há um ano em seu segundo mandato, já incluiu projetos que estão em debate no Congresso e irritaram os conservadores, como mudanças na lei do aborto. O governo ainda não se pronunciou sobre o caso de Maureira.

Fibrose cística

A fibrose cística é uma doença genética e sua principal característica é o acúmulo de secreções nos pulmões, em órgãos do sistema digestivo e outras áreas do corpo. O muco acumulado coloca a vida do paciente em risco, pois provoca infecções pulmonares, problemas digestivos e ainda pode afetar o sistema reprodutivo masculino.

O tratamento da doença inclui antibióticos, reposição de sódio, boa nutrição, fisioterapia respiratória e medicamentos inalados.

A eutanásia no mundo

A Holanda foi o primeiro país do mundo a permitir a prática da eutanásia ou suicídio assistido.

Publicidade

A decisão aconteceu em 2002 e inclui uma série de regras. O paciente deve estar em estado total de consciência, sofrer de dores insuportáveis e ser portador de doença incurável. O procedimento acontece por meio de coquetéis de drogas administrados sob supervisão médica.

Influenciada pela Holanda, a Bélgica legalizou a eutanásia no mesmo ano. Pessoas saudáveis podem deixar registrados seus desejos de morte em caso de inconsciência ou coma por conta de doença terminal. A lei não fala sobre o suicídio assistido e é a mais branda do mundo: pessoas sem doenças terminais já tiveram o direito à eutanásia e pais ou responsáveis podem decidir praticá-la em crianças. A decisão irritou conservadores, igreja e pediatras.

Suíça e Alemanha têm legislações similares, sendo a última a mais rigorosa. Nos dois países a eutanásia é proibida, mas o suicídio assistido é permitido desde que o paciente assuma total responsabilidade pelo ato e não tenha ajuda de terceiros. A Suíça, entretanto, permite que entidades atuem para orientar e oferecer estrutura para os que desejam morrer. Em Luxemburgo, a eutanásia também é permitida.