A comunidade muçulmana nos EUA é grande e significativa. E, a maioria das pessoas deve saber que durante um culto islâmico, as mulheres não têm permissão para entrarem nas mesquitas. Isto vale para toda e qualquer muçulmana, seja ela americana, árabe ou brasileira. Ou elas oram em casa e jamais participam das reuniões ou, em alguns locais mais modernos, elas assistem ao culto através de um telão, em alguma sala reservada apenas para elas. 

Porém, em Los Angeles, pelo menos, o telão não será mais necessário, já que a primeira mesquita só para mulheres acaba de ser inaugurada. 

Sana Mutalib, a co-presidente da instituição e advogada, diz que sua mãe sempre lhe ensinou o Corão, livro sagrados dos muçulmanos, como uma fonte de igualdade, mas quando ela começou a participar da sociedade ativamente e percebeu que não havia igualdade alguma, ela teve uma crise relacionada à sua própria fé. Porém, quando começou a estudar direito na universidade, ela começou a fazer uma ponte com os ensinamentos do Islã e a partir dali surgiu a ideia de criar a mesquita só para mulheres.

Sana conta que sua principal intenção não é ir contra os ensinamentos islâmicos ou desviar as mulheres deles, mas sim, fazer com que elas aprendam a ler e a interpretar as escrituras com base na igualdade e assim, fortalecer a própria comunidade muçulmana da qual fazem parte.

Entretanto, como não poderia deixar de ser, a inauguração da mesquita trouxe muita polêmica no meio religioso islâmico. Um dos principais motivos para a polêmica não é o fato de se ter uma mesquita só para mulheres, mas sim, porque segundo as oradoras da mesquita, lá as mulheres não precisam usar o véu e podem se vestir da maneira que quiserem. Tal iniciativa é considerada um insulto ao islã, já que segundo os ensinamentos do Corão, não só mulheres, mas também homens, devem estar com suas cabeças cobertas ao fazerem as orações a Allah.

Sana discorda das críticas e diz: "As mesquitas nos EUA vivem no passado. Você vai lá e o máximo que ouve é algum sermão sobre a obrigatoriedade de se usar o véu. Porém, não há ensinamentos para conectar os fiéis ao mundo real e atual e a fortificar sua fé."

Já outros religiosos acharam um absurdo a abertura de um local só para mulheres, mesmo tal prática não sendo condenada pelo Islã, desde que as reuniões para mulheres sejam sempre conduzidas também por mulheres. E o que as muçulmanas que atenderam à primeira reunião de oração na polêmica mesquita acharam? "Só de poder sentar próximo à oradora e poder participar do sermão sem ser através de um telão já faz toda a diferença", disse uma das fiéis.

É difícil agradar a gregos e troianos, ainda mais quando o assunto é ligado à crença de cada um. Por isso, a mesquita só para mulheres ainda será tema de muita polêmica no círculo islâmico americano e no mundo todo. #Religião