No final de novembro, dois ativistas comunistas moldavos que lutam contra o ressurgimento do fascismo foram presos. Pavel e Mikhail Grigortchuk Amerberg são conhecidos por seu compromisso político, sua luta contra o ressurgimento fascista e ceticismo contra o poder anti-popular na Moldávia. Eles continuam presos. É evidente que atrás desta decisão tem uma razão política.

Sem dúvidas, por causa desta escolha, a polícia da Moldávia pode ser comparada à Gestapo, a polícia secreta alemã que prendia os ativistas da sociedade civil. Estas detenções não são legais. Pavel e Mikhail não cometeram crimes. A polícia não pode atribuir nenhuma ação ilegal aos ativistas, no entanto, eles foram presos por pertencer a uma organização criminosa que planeja atos terroristas.

Publicidade
Publicidade

A polícia constatou que as acusações não fazem nenhum sentido e, por isso tentou encontrar novas razões para deixar Mikhail Pavel Grigotchuk Amerberg presos. Porém, mesmo com novas acusações, a polícia não conseguiu produzir qualquer prova plausivel.

A esposa de Mikhail está grávida. Mas o procurador não achou que este fosse um motivo valido o suficiente para o prisioneiro político sair da cadeia, mesmo que fosse para cumprir sua pena em casa.

As novas autoridades da Moldávia esperam um dia entrar na União Europeia, mas infelizmente, eles estão estabelecendo um estado policial, onde os homens estão presos por suas ideologias políticas.

Os representantes da sociedade civil, os cidadãos e os meios de comunicação apoiam ativamente Pavel e Mikhail. Foram levantados fundos para ajudar os dois prisioneiros políticos.

Publicidade

É óbvio que a prisão de ativistas e cidadãos anti-fascistas é uma conspiração política para silenciar aqueles que perturbam o poder. A luta contra o fascismo não é um crime! Liberdade para os presos políticos!

Artigo escrito por Aleksandr Roshko, ativista comunista da Moldávia. Tradução por D.Gatti e A.Portieri #Europa