Uma empresa cibernética, situada na Rússia, informou em um relatório, que hackers - ou como são conhecidos também, piratas cibernéticos - conseguiram invadir e roubar US$1 bilhão de bancos ao redor do mundo e já está sendo considerada uma das maiores quebras bancárias dos últimos tempos.

De acordo com a empresa russa Kaspersky Lab, esses hackers vem atuando desde 2013 e já conseguiram se infiltrar em mais de 100 bancos espalhados por 30 países. Primeiro eles conseguem obter acesso aos computadores dos bancos usando o método de phishing, entre outros, depois se mantêm às escondidas para poder estudar e aprender os funcionamentos dos sistemas bancários através de capturas de vídeos dos funcionários dos bancos enquanto os mesmos trabalham em seu computadores corporativos.

Publicidade
Publicidade

Com esses dados em mãos os piratas criam contas falsas e depois programam, em horários exclusivos, os caixas eletrônicos para fazerem as transferências para suas contas. A Kaspersky Lab informou que apesar de bancos dos Estados Unidos, da Ásia e do resto da Europa terem sido alvos, as maiores perdas aconteceram na Rússia e na Europa Oriental.

Os Estados Unidos já vinham se programando para criar uma nova agência de cibercegurança, isso foi relatado por um funcionário de Barack Obama, mas sob a condição de não ser identificado, e que essa empresa teria a finalidade de juntar e interpretar as várias ameaças cibernéticas que poderiam prejudicar a nação e assim poder informar em tempo real às agências competentes. Essa decisão surgiu após o ataque à empresa Sony Pictures, mas pelos acontecimentos dessa segunda-feira, essa empresa ainda não está em funcionamento e/ou não funciona.

Publicidade

Todos os detalhes desse ciberataque, suas consequências, quais medidas serão tomadas para evitar futuros roubos por piratas da internet e o que está sendo feito para desarticular essa ciberquadrilha, será divulgado em Cancún, no México, nesta sexta-feira (20) à tarde, através de um relatório completo, pela empresa Russa Kaspersky Lab. #Finança