MOSCOU - Boris Nemtsov , líder da oposição a Vladimir Putin e ex-vice-premier Liberal durante a presidência Yeltsin, foi morto em uma emboscada durante a caminhada no centro de Moscou, perto do Kremlin. O escritório de imprensa do Ministério do Interior anunciou que a polícia lançou operação em larga escala para capturar os assassinos .

Nemtsov foi atingidos por quatro balas no centro de Moscou

Relata no Twitter Iuri Barmin, amigo e companheiro de lutas políticas do Nemtsov "Os assasinos esperavam por ele dentro um carro perto do Kremlin." Uma ou mais pessoas num carro branco assassinaram a vítima com pelo menos quatro tiros de bala nas costas enquanto passeava pela ponte Zamoskvoretskiy, em frente à Basílica de São Basílio e perto da Praça Vermelha.

Publicidade
Publicidade

De acordo com os meios de comunicação, no momento do ataque o Nemtsov estava em companhia de uma mulher.

Vladimir Putin condenou imediatamente o assassinato dizendo que poderia ser um crime sob comissão e também uma 'provocação' tendo em vista o protesto convocado pela oposição neste domingo. O presidente também anunciou uma consulta imediata com os chefes de segurança e seu 'controle direto' sobre a investigação.

"Quem matou Nemtsov terá que pagar um preço muito alto", disse Mikhail Kasyanov ex-primeiro-ministro e, por sua vez, porta-voz da oposição. Kasyanov foi imediatamente no site do assassinato. O ex- campeão mundial de xadrez Garry Kasparov, outro membro da linha anti-Putin , escreveu no Twitter 'chocado' ao saber do assassinato brutal de Boris Nemtsov, "um parceiro de longa data na oposição de quatro tiros , um para cada filho que ele tem".

Publicidade

Aleksiei Kudrin , ministro das Finanças e economista liberal que tinha concordado em cooperar com Putin e que se distanciou nos últimos anos do presidente russo, falou que esta é 'uma tragédia para a Rússia.'

Doutor em física, Nemtsov tinha 55 anos, e na segunda metade da década de 90 foi mencionado como um possível sucessor de Boris Yeltsin para subir no Kremlin. O ex-governador de Nizhni Novgorod ocupou posições governativas importantes em Moscou impondo-se como um reformador. Mais tarde, fundou a União das Forças de Direita - uma educação liberal - juntamente com o ex-primeiro-ministro Sergei Kirienko e outro ex-deputado Anatoli Ciubais, mas ao contrário destes, desde o início de 2000, começou a criticar fortemente e abertamente o presidente Vladimir Putin acusado-o de autoritarismo. #Europa